Caracterizacao do sistema adenosinergico no modelo experimental de epilepsia induzido por pilocarpina

Caracterizacao do sistema adenosinergico no modelo experimental de epilepsia induzido por pilocarpina

Título alternativo Characterization of adenosynergic system of model experimental of epilepsy induced by pilocarpine
Autor Vianna, Eduardo Paulo Morawski Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A adenosina e um importante modulador do sistema nervoso central, exercendo um potente efeito inibitorio na liberacao de neurotransmissores. A adenosina extracelular pode ser liberada por celulas, ou sintetizada no meio extracelular por uma enzima ancorada a membrana externa, a ecto-5'-nucleotidase. A adenosina exerce um efeito anticonvulsivante em muitos modelos experimentais, inclusive no modelo da pilocarpina. No entanto, nao se sabe que receptores estao envolvidos. Os objetivos deste trabalho foram estudar, por histoquimica, a atividade da enzima ecto-5'-nucleotidase no cerebro de ratos nos 3 periodos do modelo experimental de epilepsia induzida por pilocarpina e caracterizar o papel de cada receptor quanto a capacidade de modular as crises induzidas por pilocarpina, empregando agonistas e antagonistas de receptores A1, A2a e A3. O efeito neuroprotetor dos tratamentos tambem foi avaliado no modelo da pilocarpina. A histoquimica da ecto-5'-nucleotidase revelou um aumento na marcacao na regiao CA3 do hipocampo nos grupos 5 horas pos SE, sendo intensificado 24 horas e 7 dias apos a inducao do SE. Nos animais cronicos, a marcacao ocorreu principalmente nas fibras musgosas de CAI, evidenciando o rebrotamento. O resultado dos pre-tratamentos mostrou que os agonistas dos receptores A1 tem efeito anticonvulsivante visto que o R-PIA diminui as crises induzidas por pilocarpina, e que o seu antagonista, DPCPX, teve efeito convulsivante. O receptor A2a tambem tem efeito anticonvulsivante. Apesar do seu agonista, CGS 21680, nao modificar o curso das crises, o antagonista deste receptor teve acao convulsivante. O receptor A3 parece nao participar na modulacao das crises. No estudo de neuroprotecao, verificou-se que tanto receptores A1 quanto A2a protegem o cerebro contra a morte neuronal por apoptose. De acordo com esses resultados,. pode-se concluir que: o SE induzido pela pilocarpina causa um aumento da ecto-5'-nucleotidase, indicando um aumento da concentracao de adenosina extracelular no hipocampo no modelo estudado. Os receptores A1 e A2a tem efeitos anticonvulsivante e neuroprotetor. Entretanto, o recepto A3 pode contribuir para a morte neuronal por apoptose
Assunto Epilepsia
Pilocarpina
Adenosina
5'-Nucleotidase
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 81 p. ilus.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17255

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta