Tabelas de composição química de alimentos: análise comparativa com resultados laboratoriais

Tabelas de composição química de alimentos: análise comparativa com resultados laboratoriais

Título alternativo Food composition tables: comparative analysis with laboratories results
Autor Ribeiro, Pérola Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sigulem, Dirce Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo As tabelas de composicao de alimentos sao as ferramentas basicas para o desenvolvimento do trabalho do nutricionista, entretanto as tabelas brasileiras, alem de incompletas em termos de nutrientes, sao, frequentemente pouco confiaveis, devido a falta de descricao tanto dos alimentos e preparacoes quanto dos procedimentos analiticos. Esta lacuna leva os profissionais de nutricao a utilizar as informacoes disponiveis na literatura internacional. Tendo em vista estas questoes, o objetivo deste trabalho foi avaliar a concordancia entre os valores de macronutrientes e energia de alguns alimentos analisados em laboratorio com os dados apresentados nas tabelas (ENDEF, Guilherme Franco e FCF/USP) e softwares (Virtual Nutri e NUT) de composicao de alimentos em uso no Brasil. Foram analisados 21 tipos de alimentos destinados tanto ao mercado quanto a merenda escolar, totalizando 953 amostras. Observou-se que, dependendo do alimento e do nutriente estudado e da tabela ou software escolhido para a comparacao, ocorreram diferencas estatisticamente significantes entre os dados laboratoriais e os dados de tabelas e softwares. Sessenta por cento dos dados de proteina e carboidratos foram superestimados pela tabela do ENDEF, enquanto em 55 por cento e 60 por cento dos dados de lipidios e energia, respectivamente, ocorreu subestimacao. A tabela de Guilherme Franco tendeu a superestimar os valores de proteina e carboidratos, em 65 por cento e 70 por cento dos dados, respectivamente, e a subestimar os dados de lipidios em 60 por cento e os de energia em 65 por cento. O software Virtual Nutri tendeu a superestimar os valores de lipidios em 53 por cento dos dados e os de energia em 58 por cento , e a subestimar os de proteinas e carboidratos em 89 por cento e 53 por cento dos dados, respectivamente. O software NUT tendeu a subestimar os teores de proteina, de lipidios, de carboidratos e de energia em 57 por cento, 67 por cento, 76 por cento e 71 por cento dos dados, respectivamente. Na tabela da FCF/USP houve uma tendencia a superestimacao do conteudo de carboidratos (75 por cento dos dados) e subestimacao de proteinas (75 por cento dos dados), lipidios (56 por cento dos dados) e energia (75 por cento dos dados). Estes resultados permitem concluir que e fundamental a elaboracao de uma tabela de composicao de alimentos brasileira que leve em consideracao as marcas comerciais mais consumidas e a representatividade de consumo dos alimentos pela populacao...(au)
Assunto Tabela de composição de alimentos
Alimentos
Técnicas de laboratório clínico
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 151 p. tabgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 151 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17331

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta