Avaliação da pressão arterial sistólica durante teste ergométrico após transplante cardíaco: relação com aspectos clínicos e resultados da ecocardiografia sob estresse pela dobutamina

Avaliação da pressão arterial sistólica durante teste ergométrico após transplante cardíaco: relação com aspectos clínicos e resultados da ecocardiografia sob estresse pela dobutamina

Título alternativo Sistolic arterial pressure evaluation in exercise testing after cardiac transplantation: relationship with clinical findings and dobutamine stress echocardiography results
Autor Salles, Ana Fátima Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Oliveira Filho, Japy Angelini Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O transplante cardiaco elevou a sobrevida e melhorou, consideravelmente, a qualidade de vida de pacientes com insufiCiência cardiaca terminal. Apos transplante cardiaco, a capacidade aerobia, em exercicio submaximo, e semelhante a de individuos normais, porem esta reduzida no pico do exercicio, devido a fatores centrais e perifericos. A avaliacao desses pacientes, revela que a pressao arterial sistolica nao se eleva de modo satisfatorio, durante o exercicio. O objetivo deste estudo foi verificar a relacao do incremento de pressao arterial sistolica durante o teste ergometrico com os aspectos clinicos, resultados da ecocardiografia sob estresse e teste ergometrico. Estudou-se 45 transplantados, com idade media de 49,04 n 10,19 anos e tempo medio de transplante de 40,91 n 27,46 meses. Os exames foram realizados sem intercorrencias. O incremento da pressao arterial sistolica durante o teste ergometrico e as variaveis tempo de transplante, tempo de isquemia do enxerto, antecedentes de episodios de rejeicao, dose de diltiazem, consumo de oxigenio, fracao de ejecao e indice de contratilidade segmentar nao se correlacionaram, quando analisadas individualmente atraves do coeficiente de correlacao de Pearson, e conjuntamente, utilizando a regressao linear multipla. A separacao da casuistica em grupo com resposta normal (Grupo I) e com resposta anormal (Gripo II), nao evidenciou diferencas significativas entre os grupos. Assim a reducao do incremento da pressao arterial sistolica durante o teste ergometrico nao parece estar associada a alteracoes do desempenho sistolico do ventriculo esquerdo, a capacidade aerobia e as variaveis clinicas, tempo de transplante, tempo de isquemia do enxerto, antecedentes de episodios de rejeicao e dose de diltiazem
Assunto Transplante de coração
Teste de esforço
Ecocardiografia
Estresse fisiológico
Dobutamina
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 107 p. tabgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17335

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta