Avaliação de testes eletrofisiológicos do assoalho pélvico em mulheres com incontinência urinária

Avaliação de testes eletrofisiológicos do assoalho pélvico em mulheres com incontinência urinária

Título alternativo Neurophysiological techniques for assessment of pelvic floor in women with urinary continence
Autor Cavalcanti, Geraldo de Aguiar Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bruschini, Homero Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A incontinencia urinaria constitui-se em um problema relativamente frequente em mulheres. A integridade anatomica da uretra e das estruturas de conexao e sustentacao da musculatura pelvica sao fundamentais para o mecanismo esfincteriano urinario. Tem-se estudado muito a respeito da definicao, reconhecimento e demonstracao objetiva da incompetencia uretral. Contudo, os urologistas ainda carecem de um teste objetivo para identificar e quantificar essas anormalidades. Pelo menos em parte, o funcionamento da musculatura do assoalho pelvico depende de sua. inervacao. Esse aspecto justifica o fato de que a medicina eletrodiagnostica esteja assumindo um importante papel para a compreensao de anormalidades dessa regiao, inclusive do esfincter uretral. Contudo, essa metodologia apresenta alguns` aspectos ainda nao devidamente estabelecidos, como tambem existem apenas poucos relatos da utilizacao desses testes em nosso meio. Esses fatos denotam a necessidade de determinar criterios de leitura e obter uma maior familiarizacao da tecnica em mulheres continentes antes de utiliza-las na investigacao de pacientes com perdas urinarias. O presente estudo avaliou 42 voluntarias continentes, selecionadas atraves de criterios de inclusao e exclusao previamente estabelecidos. Dentre elas, 37 foram selecionadas, onde foi realizada a pesquisa dos reflexos pudendo-anal e uretro-anal, alem do potencial evocado cortical e tempo de latencia motora distal do nervo pudendo. Nao houve diferenca entre as latencias registradas em ambos os lados para os reflexos sacrais e o tempo de latencia motora distal. Tambem nao houve diferenca entre os potenciais evocados obtidos como estimulo bilateral do nervo pudendo. A lat6encia motora distal pudenda apresentou correlacao positiva com a idade e o indice de massa corporea. Observando a historia obstetrica, houve correlacao da latencia do PESS entre mulheres nuliparas e com historia de partos (vaginais ou cesarianas). Foram definidos tambem criterios de leitura para os parametros eletrofisiologicos estudados. O contraste das latencias obtidas com outros valores de grupos controle descritos na literatura refletiram a falta de um maior conhecimento e padronizacao dos metodos eletrofisiologicos para o assoalho pelvico_(au)
Assunto Incontinência Urinária
Diafragma da Pelve
Neurofisiologia
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 74 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17344

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta