Novos indicadores para o diagnostico diferencial da limitação funcional cardiorrespiratória de pacientes com doença pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) e insuficiência cardíaca congestiva (ICC)

Novos indicadores para o diagnostico diferencial da limitação funcional cardiorrespiratória de pacientes com doença pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) e insuficiência cardíaca congestiva (ICC)

Título alternativo New indicators for the diagnostic evaluation of dyspnea on exertion in patients with chronic obstructive pulmonary disease(COPD) and congestive heart failures(CHF)
Autor Cesar, Marcelo de Castro Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Barros Neto, Turibio Leite de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A proposta deste estudo foi diferenciar a natureza da limitacao funcional cardiorrespiratoria no exercicio, de individuos com doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) em relacao a individuos com insufiCiência cardiaca congestiva (ICC), e determinar indicadores que permitam classificar um individuo com limitacao funcional em DPOC ou ICC. Foram avaliados 32 pacientes, divididos em grupos de 16 pacientes com doenca pulmonar obstrutiva cronica, 13 do sexo masculino e 3 do sexo feminino, e 16 pacientes com insufiCiência cardiaca congestiva, 11 do sexo masculino e 5 do sexo feminino. Todos os individuos foram submetidos a um teste cardiopulmonar, em esteira rolante, com protocolo continuo, de carga crescente, ate a exaustao. Nao houve diferenca significante entre os valores de consumo de oxigenio pico (VO2 pico) dos pacientes com DPOC (17,37 n 4,04 ml/kg/min) e ICC (18,66 n 3,49 ml/kg/min).Os valores de razao de trocas gasosas pico (R pico) e equivalente ventilatorio para o oxigenio pico (VEO2 pico) foram maiores nos pacientes com insufiCiência cardiaca que nos pacientes com pneumopatia obstrutiva, sendo estas as variaveis que caracterizam as diferencas entre os grupos. Para classificar os grupos, podem ser utilizadas funcoes discriminantes com as variaveis R pico e VeO2 pico, descritas abaixo: Grupo DPOC: - 33,986 + 72,827 X R pico + 0,063 X VE02 pico ; Grupo ICC: -51,071+ 83,922 X R pico + 0,216 X VEO2 pico. A funcao discriminante em que o resultado e maior classifica corretamente em 90,6 por cento o grupo ao qual pertence o paciente. Concluindo, os valores de R pico e VEO2 pico possibilitam diferenciar a etiologia da limitacao funcional cardiorrespiratoria de pacientes com DPOC e ICC, e os resultados numericos dessas variaveis, aplicados nas respectivas funcoes discriminantes, permitem classificar os pacientes com DPOC ou ICC
Assunto Exercício
Consumo de Oxigênio
Ventilação Pulmonar
Pneumopatias Obstrutivas
Insuficiência Cardíaca
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 109 p. ilus. , tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 109 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17483

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta