Expressao de antigeno D8/17 em linfocitos B de pacientes brasileiros com febre reumatica e sindrome de tourette

Expressao de antigeno D8/17 em linfocitos B de pacientes brasileiros com febre reumatica e sindrome de tourette

Título alternativo D8/17 antigen in B lymphocytes of the brazilian rheumatic fevre and tourette sydrome patients
Autor Gomes, Sonia Maria Cesar de Azevedo Moura Magalhaes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A caracterizacao de um marcador de susceptibilidade genetica por uma doenca permite uma maior compreensao sobre os mecanismos fisiopatologicos etiopatogenicos nela envolvidos.As similaridades entre a Sindrome de Tourette e a Coreia de Sydenham, manifestacao maior da Febre Reumatica, no que diz respeito a etiopatogenia, presenca de mesmas comorbidades e alteracoes imunologicas, suscitou interesse para pesquisa da existencia de um marcador antigenico comum a estas duas condicoes. Em Febre Reumatica, alguns autores estabeleceram a presenca em aproximadamente 100 por cento dos pacientes, de um antigeno em linfocito B, o antigeno D8/17, considerado marcador de susceptibilidade para esta doenca.0 objetivo deste trabalho foi estudar o mesmo marcador em pacientes com Sindrome de Tourette.Foram avaliados inicialmente pacientes com Febre Reumatica (controles positivos) e individuos saudaveis (controles negativos) com a finalidade de padronizar a metodologia laboratorial para que a mesma pudesse ser aplicada em Sindrome de Tourette. 0 metodo utilizado foi a Citometria de Fluxo e nao a imunofluorescencia, por ser metodo de execucao mais rapida, por nao implicar na subjetividade do tecnico leitor e por permitir analise de um numero muito maior de celulas. Foram utilizados 4 lotes de anticorpos D8117 enviados pelo Laboratorio de Imunologia e Microbiologia da Universidade Rockefeller. Algumas amostras de sangue de pacientes com Febre Reumatica e individuos saudaveis foram avaliadas pela tecnica de imunocitoquimica (APAAP). Os resultados insatisfatorios obtidos na fase de padronizacao da metodologia, nos levou a estudar um numero maior de pacientes com Febre Reumatica. 0 material este trabalho passou a ser constituido por: 43 pacientes com Febre Reumatica, 48 individuos saudaveis e apenas 10 pacientes com Sindrome de Tourette. Esta analise, por Citometria de Fluxo, mostrou positividade do antigeno D8117 em pacientes com Febre Reumatica e individuos saudaveis de, respectivamente, 29,41 por cento e 29,72 por cento. Nas analises realizadas por APAAP nao obtivemos positividade. Os resultados semelhantes obtidos em pacientes com Febre Reumatica e individuos saudaveis nao nos permitiu a caracterizacao de controles positivos para este estudo. A discrepancia destes achados, quando confrontados com os da literatura, nos fez questionar a validade, em nossa populacao, deste marcador de susceptibilidade em Febre Reumatica e consequentemente em Sindrome de Tourette...(au)
Assunto Antígenos
Anticorpos
Febre Reumática
Síndrome de Tourette
Linfócitos
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 79 p. tabgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 79 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17837

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta