Aspectos epidemiologicos das internacoes hospitalares por traumatismo cranio-encefalico de menores de 20 anos, Brasil, 1999

Aspectos epidemiologicos das internacoes hospitalares por traumatismo cranio-encefalico de menores de 20 anos, Brasil, 1999

Título alternativo Epidemiological aspects of hospital admission due to brain injury in patients under 20 years of age, Brazil, 1999
Autor Waters, Camila Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: O trauma cranio-encefalico vem sendo caracterizado como uma epidemia silenciosa, ja que responde por altas taxas de morbimortalidade hospitalar, alem de ser a lesao mais frequente nas mortes por causas externas. Objetivos: Tracar um panorama geral das internacoes hospitalares de menores de 20 anos por TCE no Brasil; relacionar os tipos de causa externa dessas internacoes com distribuicao por regioes geograficas, faixas etarias e genero; analisar a associacao entre o tipo de saida hospitalar e as variaveis genero, faixas etarias e tipos de causa externa. Metodo:', Foi desenvolvido) um estudo epidemiologico com desenho retrospectivo. O material, proveniente do banco de dados do SIH/SUS, foi referente as internacoes pagas em instituicoes do pais durante o periodo de 01 de janeiro a 31 de dezembro de 1999. Os resultados obtidos foram analisados descritivamente e estao apresentados em forma de tabelas e figuras. Resultados: Foram registradas 20.433 internacoes por TCE em menores de 20 anos. As faixas etarias mais acometidas foram os menores de 5 anos (6.468) e os maiores de 15 anos (5.305). O sexo masculino foi responsavel por 13.898 (68 por cento) internacoes, demonstrando uma relacao global masculino/feminino de 2,1:1. O sexo masculino predominou em todas as faixas etarias e, com o aumento da idade, foi se tornando ainda mais prevalente. A queda, o tipo de causa externa mais frequente, foi responsavel por 53,1 por cento dos casos, e os acidentes de transporte, por 26,8 por cento. Metade das internacoes por TCE ocorreu na regiao Sudeste e 23,3 por cento na regiao Sul. As quedas foram o tipo de causa externa mais frequente em todas as regioes geograficas, com excecao da regiao Nordeste. Os acidentes de transporte e as agressoes apresentaram uma curva ascendente com o aumento da idade, sendo mais evidente no segundo tipo, enquanto as quedas apresentaram uma curva descendente Ao analisar os diferentes tipos de causa externa em cada faixa etaria, pode-se observar que as...(au)
Assunto Traumatismos Encefálicos
Criança
Adolescente
Epidemiologia
Morbidade
Mortalidade Hospitalar
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 106 p. ilusmapastab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 106 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17929

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta