Relação da postura corporal com a disfunção da articulação temporomandibular: hiperatividade dos músculos da mastigação

Relação da postura corporal com a disfunção da articulação temporomandibular: hiperatividade dos músculos da mastigação

Título alternativo Relantioship between posture and temporomandibular disorder: mastigatory muscle overactivity
Autor Yi, Liu Chiao Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Guedes, Zelita Caldeira Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A hiperatividade dos musculos da mastigacao corresponde a 80 por cento das disfuncoes temporomandibulares. Devido ao fato dos tratamentos existentes atuarem de forma estritamente localizada e por muitas vezes nao ser constatada melhora significativa da sintomatologia, foi observada a possibilidade de haver a relacao entre postura corporal global e hiperatividade dos musculos da mastigacao. Objetivo: Este estudo teve por objetivo, verificar a relacao entre postura corporal e a disfuncao da articulacao temporomandibular, causada por hiperatividade dos musculos da mastigacao. Material e Metodo: A amostra avaliada foi composta por 53 mulheres, na faixa etaria de 20 a 30 anos. As integrantes foram submetidas a anamnese, avaliacao clinica das articulacoes temporomandibulares, eletromiografia dos musculos da mastigacao, sonografia das articulacoes temporomandibulares e avaliacao postural. Apos a constatacao de ausencia de patologias intra-articulares, a amostra foi dividida em dois grupos de acordo com a atividade dos musculos da mastigacao : Grupo A (sem hiperatividade dos musculos da mastigacao) e Grupo B (com hiperatividade dos musculos da mastigacao). Posteriormente, foi distribuida em dois subgrupos: sem alteracao da postura corporal e com alteracao da postura corporal. Foi utilizado o teste de qui-quadrado de Pearson para verificar a relacao de dependencia entre duas variaveis dicotomicas e o teste exato de Fisher, que confere probabilidades diretas. Resultados: Foi constatado que 45,4 por cento das integrantes do grupo B apresentaram lordose cervical aumentada e 50,0 por cento nao nivelamento entre ombros. Conclusoes: A analise dos resultados obtidos, permitiu concluir que a lordose cervical aumentada e o nao nivelamento entre ombros no grupo B, foram os achados mais frequentes
Assunto Postura
Articulação temporomandibular/fisiopatologia
Músculos mastigatórios
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 107 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17946

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta