Função de drenagem purificadora do sistema nervoso central pelo liquido cefalorraquiano

Função de drenagem purificadora do sistema nervoso central pelo liquido cefalorraquiano

Título alternativo Sink action of cerebrospinal fluid
Autor Reis-filho, João Baptista Dos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo It has long been known that the cerebrospinal fluid can not be the nervous system lymph, and Mestrezat, in his authoritative book of the year 1912, demonstrated it plainly. Davson has undertaken this subject and suggested the hypothesis of a sink action of cerebrospinal fluid, allowing a slow leakage of solutes from nervous tissue extracellular space. In order to test this hypothesis, Oldendorf and Dayson performed a series of animal experiments and they demonstrated that there was leakage of the solute into cerebrospinal fluid. Based on the idea of this sink action of cerebrospinal fluid, some possible physiological implications were considered such as the mechanism of origin of the ventricle-subarachnoid cerebrospinal fluid protein gradient; the mechanism of protection of the central nervous system against the harmful substances of the blood stream; and the homeostatic mechanism whereby the concentration of some ions of the fluid remains constant. Also, it is considered the possibility of a sink action of cerebrospinal fluid in the resolution of brain edema in water intoxication and other types of central nervous system edema.

Por motivo da ausência de um sistema linfático no encéfalo, o produto derivado de seu metabolismo somente pode ser removido por duas vias, pelo fluxo sanguíneo capilar ou pela sua transferência ao LCR. Davson havia sugerido que esta segunda forma seria possível, o LCR exercendo uma função de eliminação depuradora para o tecido nervoso e, posteriormente, juntamente com Oldendorf, demonstrou experimentalmente ser esta hipótese admissível. De acordo com esta concepção, o produto do metabolismo encefálico não aproveitável se difundiria em condições normais para o LCR e daqui seria removido pelo mecanismo habitual de sua reabsorção. Da mesma forma, qualquer soluto que atravessasse a barreira hematencefálica em proporção prejudicial seria desviado do tecido nervoso, evitando-se que sua concentração mais elevada perturbasse a função cerebral. Por meio da sua reabsorção nas vilosidades da aracnóide, o LCR eliminaria lentamente este soluto que passou do sangue para o SNC. De modo semelhante, a água em excesso poderia ser removida do tecido nervoso em pacientes com edema encefálico.
Idioma Português
Data 1983-03-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 41, n. 1, p. 80-85, 1983.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo)
Editor Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 80-85
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1983000100007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-282X1983000100007 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/185

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0004-282X1983000100007.pdf
Tamanho: 692.4Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta