Estudo da evolucao em longo prazo de pacientes portadores de paralisia cerebral do tipo espastica submetidos a neurolise quimica com toxina botulinica do tipo A, associada ou nao ao fenol, e cinesioterapia

Estudo da evolucao em longo prazo de pacientes portadores de paralisia cerebral do tipo espastica submetidos a neurolise quimica com toxina botulinica do tipo A, associada ou nao ao fenol, e cinesioterapia

Título alternativo Study of long-term follow-up benefits of managing spasticity in patients with cerebral palsy by using peripheral nerve block with botolinum toxin A, associated or not with phenol, and kinesiotherapy
Autor Brigidio, Patricia Amador Franco Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo deste estudo epidemiologico, individuado-observacional-longitudinal-retrospectivo (estudo de coorte historica) foi investigar em longo prazo os beneficios do tratamento da espasticidade, em pacientes portadores de paralisia cerebral (PC), submetidos a neurolise quimica com toxina botulinica A (TBA), associada ou nao ao fenol, e cinesioterapia, para quantificar e qualificar a evolucao dos resultados clinicos nos diferentes tipos de apresentacao topografica da PC (diparesia, hemiparesia e tetraparesia). Foram estudados 61 pacientes (entre 2 e 38 anos e media de idade de 8,69 anos). Os pacientes foram divididos em subgrupos de acordo com: diagnostico topografico da lesao, membros infiltrados e tipo de bloqueio neuroquimico realizado. Os dados referentes a evolucao clinica foram coletados por um periodo de seguimento com mediana de 720 dias (aproximadamente 24 meses) por um avaliador cego. Aspectos como mobilidade articular, tonus muscular e topicos relacionados a funcao dos pacientes, entre eles atividades funcionais e de vida diaria foram avaliados. Os resultados demonstraram melhora significativa da espasticidade e da funcao motora em todos os grupos durante todo o periodo de seguimento. O uso do fenol na quimiodenervacao de nervos predominantemente motores demonstrou favorecer a obtencao de resultados positivos quando associado a TBA. Pode-se concluir que a neurolise quimica foi eficaz no tratamento da espasticidade nos pacientes portadores de PC estudados. Alem disto, os resultados sugerem a importancia da cinesioterapia, associada as aquisicoes funcionais obtidas a partir da denervacao quimica, para a manutencao dos resultados alcancados, durante o periodo de seguimento dos pacientes deste estudo, ou seja, media de 24 meses
Assunto Paralisia Cerebral
Espasticidade Muscular
Toxinas Botulínicas Tipo A
Fenol
FISIOTERAPIA(ESPECIALIDADES)
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 124 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 124 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18842

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta