Prevalência de anticorpos IgG contra VVZ(Vírus Varicela Zoster) nas tribos Kuikuro e Kayabi do parque indígena do Xingu pré vacinação contra varicela

Prevalência de anticorpos IgG contra VVZ(Vírus Varicela Zoster) nas tribos Kuikuro e Kayabi do parque indígena do Xingu pré vacinação contra varicela

Título alternativo Prevalence of IgG antibodies against VZV(Varicella Zoster Virus) in the Kuikuro and the Kaiabi tribes of Xingu indigenous park before vacination against varicella
Autor Lafer, Manuel Mindlin Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Weckx, Lily Yin Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: avaliar a soroprevalencia de anticorpos IgG anti-VVZ nas etnias mais populosas do Parque Indigena do Xingu e determinar os valores preditivos positivo e negativo da historia pregressa de infeccao por varicela. Metodos: o estudo foi realizado entre junho e setembro de 2001 no Parque Indigena do Xingu, situado ao norte de Estado do Mato Grosso, que compreende uma area de 2.642.003 hectares e populacao de entao 3919 habitantes. Destes, foram avaliados 589 pertencentes a duas aldeias Kuikuro da regiao do Alto Xingu, e tres aldeias Kaiabi da regiao do Baixo Xingu, de modo a fornecer dados sobre infeccao previa por varicela. Foi realizado ensaio imunoenzimatico indireto para pesquisa de anticorpos IgG anti-Varicela Zoster Virus em 224 amostras de sangue coletadas antes da Introdução da vacinacao contra varicela. A selecao de voluntarios foi feita por chamamento e seguiu a distribuicao etaria daquela populacao, sem que houvesse influencia da resposta proferida a anamnese. Resultados: a soroprevalencia de anticorpos IgG foi de 80,8 por cento (intervalo de confianca de 95 por cento: 76 por cento a 86 por cento). Nos menores de 1 ano de idade, entre 1 e 5 anos, 6 e 10 anos, 11 e 15 anos, 16 a 20 anos e nos maiores de 20 anos, houve soroprevalencia de respectivamente 25 por cento, 57,8 por cento, 78,9 por cento, 100 por cento, 97,1 por cento e 100 por cento. 0 valor preditivo positivo da historia pregressa de varicela foi de 98 por cento e o valor preditivo negativo foi de 41 por cento. Conclusoes: a soroepidemiologia da varicela no Parque do Xingu antes da Introdução da vacinacao contra varicela foi comparavel a da populacao brasileira descrita na literatura. Houve maior proporcao de soroprevalentes entre 11 e 15 anos, indicando aquisicao de imunidade mais precoce contra esta doenca. 0 valor preditivo positivo elevado e o valor preditivo negativo baixo da historia previa tambem corresponderam aqueles descritos na literatura internacional
Assunto Varicela
Estudos soroepidemiológicos
Índios sul-americanos
Valor preditivo dos testes
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 130 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 130 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18920

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta