Efeitos da privação de sono paradoxal e da administração de drogas psicoativas na degeneração neuronal

Efeitos da privação de sono paradoxal e da administração de drogas psicoativas na degeneração neuronal

Título alternativo Effects of paradoxical sleep deprivation and psychoactive drugs over neural degeneration
Autor Saito, Angelica Kiyomi Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Mello, Luiz Eugênio de Araújo Moraes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A privacao de sono desencadeia uma sindrome com alteracoes fisiologicas bem estabelecidas. Em animais de laboratorio a perda de sono pode, eventualmente, levar a morte. Demonstrou-se que a privacao de sono leva a alteracao na expressao de diversos genes, mecanismos de estresse oxidativo e degeneracao de celulas em algumas areas encefalicas. Para melhor investigar os efeitos da privacao de sono paradoxal (PSP) sobre os processos de degeneracao neuronal foram utilizados o metodo de dark cell de Gallyas e a coloracao de Fluoro-Jade. Foram analisadas as areas e nucleos localizados entre o cortex pre-frontal e a porcao rostral do bulbo em animais submetidos a 96 e 120h de PSP, 96h de PSP somados a 10 ou 24h de recuperacao de sono, 96h de PSP somados a 1g/kg/dia por 6 dias de etanol (ETA) ou 2mg/kgldia por 6 dias de meta-anfetamina (MANF). Observaram-se alteracoes neuropatologicas discretas como resultado da PSP em diversas regioes encefalicas. A analise dos dados nao permitiu evidenciar de forma mais conclusiva a ocorrencia de morte neuronal nestes animais. As alteracoes identificadas podem ser consequencia de dano reversivel. Os processos de lesao neuronal associados a PSP e detectaveis pela tecnica de Gallyas parecem ter curso-temporal proprio nao mais existindo apos 120 h. Os grupos com 10 ou 24 horas de recuperacao nao parecem indicar a necessidade de eventos criticos para a expressao da lesao. 0 ETA reverteu os efeitos vistos apos exposicao as 96h de PSP, visto que nestes animais nao foi observada a marcacao de uma unica celula. Por outro lado, a MANF levou a um padrao especifico de marcacao ao inves de promover um aumento na intensidade de marcacao nas areas afetadas pelo PSP. Nesse sentido, a MANF, assim como o etanol, nao apenas modificou o padrao de marcacao, mas de alguma forma preveniu o dano celular em diversas outras areas. Nossos resultados permitem levantar a hipotese de que a pressao pelo sono, ao inves da privacao de sono, e o fator mais importante no desencadeamento de respostas relacionadas a lesao celular. Outra possibilidade nao excludente e que a privacao de sono NREM seria mais critica que a privacao de sono paradoxal na genese dos fenomenos degenerativos neuronais
Assunto Privação do Sono
Degeneração Neural
Ratos Wistar
Etanol
Metanfetamina
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 120 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 120 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18941

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta