Avaliacao clinica da tolerancia ao exercicio e das trocas gasosas pulmonares nas dencas intersticiais fibrosantes

Avaliacao clinica da tolerancia ao exercicio e das trocas gasosas pulmonares nas dencas intersticiais fibrosantes

Título alternativo Gas exchange and cardiopulmonary responses to a 6 minute step test in patients with pulmonary fibrosis: comparison with cycle ergometry in isometric conditions
Autor Duarte, Sandra Reis Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo As doencas pulmonares intersticiais (DPIj constituem grupo heterogeneo de condicoes, classificadas pelas caracteristicas clinicas, radiologicas, histopatologicas e prognosticas distintas. As alteracoes funcionais sao caracterizadas por disturbio ventilatorio restritivo, com reducao dos volumes pulmonares associados a baixa complacencia pulmonar, queda da capacidade de difusao pulmonar ao monoxido de carbono e hipoxemia arterial no exercicio. O teste do degrau e usado para avaliar a capacidade funcional de pacientes em diferentes doencas. Entretanto, pouco se conhece sobre a demanda cardiorrespiratoria e de trocas gasosas quando comparados os teste do degrau e cicloergometro em pacientes com DPI. OBJETIVO: Avaliar, em condicoes isometabolicas, as variaveis ventilatorias, de trocas gasosas e cardiovasculares obtidas no teste do degrau de 6 minutos e no teste submaximo em cicloergometro, em pacientes com DPI. METODO: Estudo prospectivo com 31 pacientes com fibrose pulmonar idiopatica e pneumonite por hipersensibilidade cronica, que realizaram avaliacao de um indice de dispneia, volumes pulmonares estaticos, capacidade de difusao, teste de exercicio cardiorrespiratorio(TECR), testes do degrau de 6 minutos(TD6), TEOR com carga fixa em cicloergometro(cicio) e gasometria arterial de repouso exercicio subrnaximo no cicloergometro. RESULTADOS: De um grupo de 30 pacientes que realizou a avaliacao da capacidade de difusao pulmonar para o monoxido de carbono (Dco), 27 (90 por cento) apresentaram valores abaixo do limite inferior da normalidade e 17 (57 por cento) tiveram Dco < 50 por cento do previsto brasileiro. As variaveis metabolicas VCO2 e R foram mais elevadas no cicloergometro em relacao ao degrau (p < 0,05), com resposta ventilatoria tambem mais elevada (VE e VE/VC02). Desta forma, a maior resposta ventilatoria no cicloergometro deveu-se nao somente a um VC02 mais elevado, mas tambem a um excesso ventilatorio em relacao a liberacao pulmonar de C02 (maior VE/VC02). A maior resposta ventilatoria ocorreu por aumento combinado da f e do VC (p < 0,05). Entretanto, a intensidade da dispneia, as alteracoes de trocas gasosas (SP02) e a resposta cardiovascular (FC e V02 /FC) foram semelhantes no ciclo e no teste de caminhada de 6 minutos. CONCLUSOES: Em pacientes com doenca pulmonar intersticial fibrosante (fibrose pulmonar idiopatica e pneumonite por hipersensibilidade), de grau leve a moderado: um novo teste para avaliacao das alteracoes na troca gasosa pulmonar, o teste do degrau de 6 minutos (TD6), desencadeou elevado estresse metabolico e cardiovascular, em condicoes isometabolicas (mesmo VO2), o TD6 ocasionou alteracoes semelhantes de trocas gasosas e dispneia de esforco, mas menor estresse ventilatorio, do que um teste em cicloergometro
Assunto Tolerância ao Exercício
Troca Gasosa Pulmonar
Doenças Pulmonares Intersticiais
Teste de Esforço/métodos
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 109 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 109 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18966

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta