Ressonância magnética na avaliação do tratamento clínico da osteopongiose

Ressonância magnética na avaliação do tratamento clínico da osteopongiose

Título alternativo Magnetic Resonace imaging in the evaluation of clinical treatment of otospongiosis
Autor Vicente, Andy de Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Penido, Norma de Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a aplicabilidade da ressonância magnética como método de controle da atividade das lesões otospongióticas nos períodos pré e pós- tratamento clínico medicamentoso. Método: Estudo prospectivo, randomizado, controlado, duplo-cego, envolvendo 31 pacientes com diagnóstico clínico, audiométrico e tomográfico de otospongiose. Após a evidência de lesões ativas na Tomografia Computadorizada (TC), esses pacientes foram submetidos ao exame de Ressonância Magnética (RM) com o intuito de detectar focos otospongióticos ativos (impregnação pelo contraste gadolínio (T1 com Gd)). Os pacientes elegíveis para o estudo foram alocados em três grupos (A,B e C) e receberam o tratamento com alendronato de sódio, fluoreto de sódio e/ou placebo por 6 meses. Após esse período, eles realizaram uma nova RM além de outra avaliação clínica e audiométrica. As RMs foram avaliadas por um neurorradiologista e um otorrinolaringologista de forma subjetiva (visual) e objetiva (com auxílio de um software específico (eFilm Workstation). As avaliações da RM e os dados clínico- audiométricos foram comparados nos períodos pré e pós-tratamento clínico. Resultados: A região anterior à janela oval (RAJO) foi o sitio de lesão mais prevalente e confiável para a realização das avaliações. Os pacientes dos grupos tratados com alendronato de sódio (B) e fluoreto de sódio (C) apresentaram evidências na RM que sugeriram uma diminuição da atividade das lesões otospongióticas, de modo mais relevante no grupo (B) ( significância estatística em ambas as análises - subjetiva e objetiva). Conclusões: A RM demonstrou maior sensibilidade na detecção da redução da atividade inflamatória da otospongiose em relação às evidências clínico-audiométricas e a análise objetiva foi o método de avaliação que apresentou maior acurácia..
Assunto Otosclerose
Imagem por ressonância magnética
Perda auditiva
Otosclerosis
Magnetic resonance imaging
Hearing loss
Idioma Português
Data 2009
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2009. 135 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 135 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19119

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta