Efeitos da menor absorcao de gordura da dieta induzida pelo orlistat sobre a resistaencia a insulina e o perfil de pressao arterial nas 24 horas em pacientes hipertensos, portadores de obesidade abdominal

Efeitos da menor absorcao de gordura da dieta induzida pelo orlistat sobre a resistaencia a insulina e o perfil de pressao arterial nas 24 horas em pacientes hipertensos, portadores de obesidade abdominal

Título alternativo Effects of the reduced absorption of dietary fat induced by orlistat on insulin resistence and 24 hour blood pressure profile in abdominal obese hypertensive patients
Autor Carvalho, Kenia Mara Baiocchi de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar os efeitos da perda de peso, com e sem o uso de orlistat, sobre a gordura visceral, resistencia a insulina e niveis de pressao arterial em pacientes hipertensos, com obesidade abdominal. Metodos: Os pacientes em dieta com conteudo calorico equivalente ao gasto metabolico de repouso, foram aleatoriamente convidados a participar de dois grupos, destinados a receber 120 mg de orlistat tres vezes ao dia (grupo Orlistat) ou apenas dieta (grupo Dieta). Do grupo orlistat, 26 pacientes (IMC = 35,2 ± 5,6 kgIm2) e do grupo dieta, 14 pacientes (IMC = 35,1 ± 7,1 kg lm2) completaram 16 semanas de tratamento. Todos foram submetidos a avaliacao antropometrica, medida da gordura visceral abdominal por ultra-sonografia, teste oral de tolerancia a glicose (TOTG), calculo da resistencia a insulina (HOMA), determinacao do perfil lipidico do plasma, e monitoramento ambulatorial da pressao arterial nas 24 horas. Resultados: Houve perda ponderal de 5,1±3,0 kg e de 5,6±3,8 kg, nos grupos Orlistat e Dieta, respectivamente. Aderencia a dieta foi referida por 64,2 por cento dos pacientes no grupo Dieta e por 34,6 por cento do grupo Orlistat (p=0,072). Em todos os pacientes (n=40) as variacoes nas medidas da gordura visceral correlacionaram-se com as variacoes nos niveis de triglicerides (rs=0,334; p=0,043) e no indice HOMA (rs=0,339; p=0,043). Nos pacientes com intolerancia a glicose do grupo Orlistat (n=9), a perda ponderal de 7,3 ± 2,7 por cento se associou a melhora do TOTG, reducoes no indice HOMA (9,8±4,0 vs 5,3± 2,1; p<0,05), nos niveis de colesterol total (203,5±33,2 vs 173,6±27,3 mg/dl; p<0,05) e de LDL- colesterol (137,2±25,1 vs 107,0±23,7 mgldl; p<0,05). Nos pacientes do grupo Orlistat (n=9) e Dieta (n=11), sem intolerancia a glicose, com perda de peso >5 por cento do inicial, ocorreram reducoes na gordura visceral e nos niveis de triglicerides. Houve melhora no TOTG no grupo Orlistat e apenas reducao na glicemia de jejum no grupo Dieta. Naqueles com perda ponderal <5°/0, nao ocorreram alteracoes nos parametros estudados. A pressao arterial nas 24 horas nao se alterou em nenhum dos grupos. Conclusoes: Nossos resultados indicam que a perda ponderal superior a 5 por cento do peso inicial resulta em reducoes na gordura visceral e i- ia resistencia a insulina. A administracao do orlistat facilita a perda de peso mesmo em pacientesa(au)
Assunto Obesidade
Dieta/etiologia
AGENTES AANTI-OBESIDADE
Resistência à Insulina
Hipertensão
Idioma Português
Data 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 92 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 92 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19393

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta