Avaliação do perfil de susceptibilidade a antifúngicos de 1.000 amostras de Candida spp relacionadas a fungemias

Avaliação do perfil de susceptibilidade a antifúngicos de 1.000 amostras de Candida spp relacionadas a fungemias

Título alternativo Evaluation of the antifungal susceptibility profile pf 1000 yeasts clinical isolates related to episodes of fungemia
Autor Matta, Daniel Archimedes da Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Colombo, Arnaldo Lopes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Dentre as infecções causadas por fungos do gênero Candida, a infecção de corrente sangüínea (ICS) destaca-se não apenas por sua alta prevalência e diferentes centros médicos, como também por suas complicações, correlacionando-se a mortalidade da ordem de 50 por cento. Objetivos:1) Avaliar a distribuição de espécies c Candida associadas a episódios de fungemia documentados em hospitais terciários. Descrever o perfil de susceptibilidade a antifúngicos de diferentes espécies de Candida obtidas de amostras clínicas de infecções hospitalares. Material e métodos: Fora avaliadas todas as amostras clínicas de Candida spp. isoladas a partir de sangue c pacientes internados em 4 hospitais terciários da cidade de São Paulo, entre janeiro 1995 e dezembro de 2003. Após triagem inicial de Candida albicans, utilizando-se me cromogênico CHROMagar-Candida, as amostras de Candida não-albicans fora identificadas por análise do perfil bioquímico pelo método comercial manual ID 32 complementadas por análise de microcultivo. A avaliação da susceptibilidade d isolados em estudo aos agentes antifúngicos foi realizada pelo método da microdiluição em caldo, de acordo com as normas de padronização publicadas no documento M2 A2, do National Committee for Clinical Laboratory Standards (NCCLS, 2002). Os antifúngicos utilizados foram: anfotericina B, 5-fluorocitosina, fluconazol, itraconazol voriconazol. Foi feita uma análise comparativa sobre o perfil microbiológico de cepas de Candida spp. isoladas em 2 períodos: janeiro de 1995 a dezembro de e janeiro 2000 a dezembro de 2000. Resultados: Analisou-se um total de 1000 leveduras, incluindo 400 isolados de C. albicans (40 por cento), 243 de C. tropicalis (24,3 por cento), 238 de C. parapsilosis (23,8 por cento), 44 de C. glabrata (4,4 por cento), 30 de C. guillliermondii (3 por cento), 25 de rugosa (2,5 por cento), 6 de C. krusei e C. pelicullosa (0,6 por cento), 5 de C. lusitaniae (0,5 por cento), e isolado para cada umas das espécies de C. famata, C. lipolytica e C. zeylanoides (1 por cento). Na análise do perfil de susceptibilidade a antifúngicos, as variações das concentrações inibitórias mínimas (CIMs) para 1000 leveduras estudadas foi de 0,06g/ml a 1,0 g/ml para anfotericina B, 0,125g/ml a  64,Og/ml para fluconazol e 5-fluorocitosi 0,03g/ml a 8g/ml para itraconazol e 0,03g/ml a 4,0g/ml para voriconazol. Observou-se amplo espectro de valores de CIM para todos os antifúngicos, exceto para anfotericina B, onde os valores de CIM ficaram entre 5 diluições. Nenhuma amostra apresentou valores de CIM superiores a 1,Og/ml frente a anfotericina B. Apenas 1, das 1000 leveduras testadas tiveram susceptibilidade dose dependente (SDD) e 0,2 por cento delas foram resistentes (R) a fluconazol. Para itraconazol, 5,8 por cento dos isolados for SDD e 1 por cento resistentes a este antifúngico. Para 5-fluorocitosina, 0,9 por cento apresentar resistência intermediária e 2,5 por cento foram resistentes. Aproximadamente 97 por cento amostras tiveram CIM  0,125g/ml para voriconazol. Houve diminuição da atividade de voriconazol frente aos isolados resistentes in vitro a fluconazol e itraconazol. Conclusão: 1) Entre as 1000 amostras avaliadas, C. albicans foi a espécie isolada maior freqüência no estudo. 2) Entre espécies de Candida não-albicans, houve predomínio de C.tropicalis e C. parapsilosis. Vale mencionar um discreto aumento prevalência de C. parapsilosis do primeiro para o segundo período avaliado (19 por cento versus 25 por cento). 3) Resistência a fluconazol de forma geral foi pouco freqüente entre amostras estudadas. Entretanto, houve aumento de 0,7 por cento para 2,7 por cento entre os dois períodos avaliados. As espécies problemas em relação a este antifúngico foram glabrata e C. rugosa. 4) A maior ocorrência de CIMs > 1,0g/ml para voriconazol entre cepas SDD/R para fluconazol e/ou itraconazol, quando comparada a cepas sensíveis a ambos triazólicos, sugerindo que há resistência cruzada in vitro e azólicos nas amostras mencionadas.
Assunto Candidíase/sangue
Candida
Teste de sensibilidade microbiana
Antifúngicos
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 109 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 109 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20271

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta