Ação protetora da amifostina sobre o epitélio seminífero de ratos pré-puberes tratados com doxorrubicina

Ação protetora da amifostina sobre o epitélio seminífero de ratos pré-puberes tratados com doxorrubicina

Título alternativo Amifostine (WR-2721)protector effet on the seminiferous ephitelium of the prepuberal rats treated with doxorubicin
Autor Vilela, Vanessa Vendramini Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Miraglia, Sandra Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O efeito citotóxico da doxorrubicina no epitélio seminífero resulta na depleção das células germinativas, podendo provocar danos irreversíveis na fertilidade masculina) A amifostina, um tiofosfato orgânico, é eficiente citoprotetor das células normais contra a toxicidade de radiações ionizantes e da cisplatina. Este estudo teve como objetivo investigar a citoproteção da amifostina contra a toxicidade da doxorrubicina sobre os testículos. Oitenta ratos Wistar machos, com 30 de idade, foram distribuído em 4 grupos, de acordo com o tratamento recebido Doxorrubicina (D 5mg/kg de peso corpóreo); Amifostina (A - 400mg/kg de peso corpóreo); Amifostina/ Doxorrubicina (AD; a amifostina foi administrada 15 minuto antes da doxorrubicina) e Controle "Sham" (CSh - solução salina). Todo os tratamentos foram via intraperiotoneal. Os animais de cada grupo foram sacrificados em 3 idades diferentes (45, 60 e 90 dias) Os testículos foram fixados em Liquido de Bouin e processadas com parafina para que seções de 3gm fossem obtidas. As seções de testículo foram coradas pela hematoxilina e pela eosina (HE) e pelo método do Ácido Periódico e Reativo de Schiff, com contra-coloração nuclear feita pela Hematoxilina (PAS + H), para que as análise,, histomorfométricas fossem realizadas. Os animais com 90 dias foram submetidos ao espermograma e ao acasalamento, para a obtenção do índice de fertilidade. Os animais sacrificados aos 60 e aos 90 dias de idade, tratados core doxorrubicina, mostraram redução significante nas mediadas da altura do epitélio, quando comparados aos animais dos grupos tratado com amifostina e doxorrubicina, e dos grupos Controle e Amifostina, respectivas idades. O tratamento com a doxorrubicina também provocou redução da frequência de espermatogênese diferenciadas (Tipos In e B) por 100 túbulos seminíferos analisados, quando comparados ao grupo pré-tratado com amifostina, nas diferentes idades estudadas (45, 60 e 90 dias). Observou-se redução na ocorrência de espermatozóides anormais e aumento na concentração de espermatozóides/ml nos ratos do grupo 90AD, em relação aos ratos do grupo 90D. Contudo, estes valores foram opostos àqueles observados nos grupos CSh e A. Número de perdas pré-implantação foram, também, observadas nas fêmeas acasaladas com ratos do grupo 90AD. Os resultados sugerem a proteção parcial do epitélio seminífero promovida pela amifostina contra os efeitos deletérios causados pela doxorrubicina. Esta proteção foi mais conspícua nos ratos de 60 dias.
Assunto Amifostina
Testículo
Doxorrubicina
Epitélio seminífero
Espermatogênese
Ratos
Amifostine
Testis
Doxorubicin
Seminiferous epithelium
Spermatogenesis
Rats
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 83 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 83 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20303

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta