Avaliação dos fatores determinantes do tamanho do enxerto no transplante renal de doador criança

Avaliação dos fatores determinantes do tamanho do enxerto no transplante renal de doador criança

Título alternativo Assessment of factors determining the graft size in transplant of cadaveric kidneys from child donors
Autor Feltran, Luciana de Santis Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pacheco-Silva, Alvaro Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Rins provenientes de doadores crianças representam parcela significativa dos doadores cadáveres. Apresentam características próprias e bastante eficientes de adaptação ao organismo receptor. Um melhor conhecimento das particularidades desses rins pode trazer informações que permitam criar estratégias para seu melhor aproveitamento Objetivos: Esse trabalho visa verificar o tamanho do enxerto de pacientes transplantados com rim de doador pediátrico e identificar fatores responsáveis pelo tamanho atingido por esses rins. Além disso, visa procurar relações entre tamanho do rim pediátrico transplantado e sua função. Métodos: 162 transplantes renais com doador cadáver menor de 16 anos, realizados no período de 1978 à 2001, na Escola Paulista de Medicina-UNIFESP, há mais de 6 meses, foram selecionados, dos quais 77 tiveram o enxerto renal medido por ultrassonografia e a função renal avaliada por "clearance" de creatinina estimado, dosagem de RBP e proteína urinária. Os fatores tidos como possíveis influenciadores do volume atingido pelo enxerto foram analisados através de análise bivariada (teste t ou correlação de Pearson) seguida de análise multivariada. Resultados: Após o transplante, os rins apresentaram as seguintes variações de medidas: diâmetro longitudinal 10,61 ± 1,13 cm, diâmetro transversal 4,67 t 0,84 cm e diâmetro ântero-posterior 4,76 t 0,99 cm. 0 volume renal variou de 47,52 a 271,10 cm 3, com média de 126,62 t 47,76 cm3. Idade e gênero do receptor foram os fatores que significantemente influenciaram o volume de rim de doador criança a longo prazo. Assim sendo, rins de crianças atingiram volumes maiores quando transplantados em indivíduos adultos e do sexo masculino. Rins de maior volume apresentaram significantemente mais proteinúria. Não houve diferença estatística nos valores de "clearance" de creatinina ou RBP urinária entre rins de tamanhos diferentes. Discussão: No processo de adaptação do rim transplantado ao receptor, os rins passam por hipertrofia compensatória e em geral aumentam de volume. Esse fenômeno é importante mas pode ser lesivo se ocorrer em excesso, por gerar hiperfiltração e menor sobrevida do enxerto. Transplantar rins de criança em indivíduos com menor tamanho corporal(crianças) pode evitar sobrecarga ao enxerto e ser uma estratégia para utilização desses rins. Conclusões: O tamanho do receptor (idade e gênero) é o principal fator responsável pelo volume que rins provenientes de doadores pediátricos atingem após o transplante. Os mecanismos implicados no aumento de tamanho do rim não são ainda conhecidos, e estão em discussão na literatura. O volume atingido por esses rins não demonstrou ter relação com a função glomerular ou tubular do órgão, medidos por “clarance” de creatinina e RBP, respectivamente. Entretanto, rins de maior volume apresentaram significantemente mais proteína.
Assunto Transplante de rim
Ultrassom
Criança
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 86 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 86 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20337

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta