O papel da calicreína plasmática na resposta hipotensora pós-exercício

O papel da calicreína plasmática na resposta hipotensora pós-exercício

Título alternativo The role of kallikrein plasmatic on hypertsension post exercise
Autor Moraes, Milton Rocha Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pesquero, João Bosco Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: O sistema calicreína cininas (SCC) está envolvido em vários processos biológicos, entre eles o controle da pressão arterial (PA). Uma das enzimas circulantes que faz parte desse sistema é denominada calicreína plasmática. A calicreína plasmática (CP) atua sobre o cininogênio de alto peso molecular, liberando o peptídeo vasoativo bradicinina (BK), que age no receptor B2 acoplado à proteína G. A interação entre a BK e o receptor 132, promove a liberação de segundos mensageiros, tais como, aumento de cálcio intracelular, prostaglandinas e produção de óxido nítrico (NO), induzindo um efeito vasodilatador. Alguns autores têm observado uma hipotensão duradoura após a realização de uma única sessão de exercícios físicos em indivíduos normotensos e hipertensos. Ainda não está bem estabelecido por meio de qual (is) mecanismo (s) o exercício leva há uma hipotensão pós-exercício (HPE) no hipertenso, nem o quanto ele é beneficiado por tal hipotensão. Nosso objetivo foi investigar os possíveis mecanismos metabólicos envolvidos no efeito hipotensor após exercício aeróbio (EA) e exercício resistido com pesos (ERP). Métodos: Participaram do estudo dezoito homens voluntários sedentários normotensos (n=8) e hipertensos (n=10), com idade média de 46±7 anos. Os sujeitos realizaram uma sessão de EA entre 50 por cento a 70 por cento da FCres. com duração de 35'; uma sessão de ERP, 3 séries de 12 repetições a 50 por cento da CVM e uma sessão controle na ausência do exercício. A PA foi avaliada em repouso e pós-exercício aos 5', 10', 15', 30', 45', 60' e 24 horas. A PA foi medida por método auscultatório. Foram realizadas coletas de sangue para análises de parâmetros bioquímicos. A atividade da calicreína plasmática (CP) foi medida fluorimetricamente. Resultados: Ocorreu uma HPE significativa em ambos protocolos aos 45' e 60' após o exercício (p<0,05) para ambos os grupos. A CP aumentou no final do exercício e 60' pós-exercício (p<0,05). Este aumento manteve-se por 24 horas em ambos os protocolos nos voluntários normotensos e hipertensos. Conclusão: É a primeira vez que se correlaciona CP e HPE aeróbio e resistido com pesos em indivíduos normotensos e hipertensos. Os ERP causaram a mesma HPE que os exercícios aeróbios. A resposta hipotensiva do exercício pode ter sido mediada via aumento da bradicinina.
Assunto Cininas
Hipertensão
Exercício
Óxido nítrico
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 127 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 127 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20369

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta