Infecção nosocomial polimicrobiana da corrente sanguínea: aspectos clínicos e epidemiológicos

Infecção nosocomial polimicrobiana da corrente sanguínea: aspectos clínicos e epidemiológicos

Título alternativo Nosocomial polymicrobial bacteremia: epidemiological and clinical aspects
Autor Nunes, Cintia Zoya Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pereira, Carlos Alberto Pires Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: avaliar os aspectos clínicos e epidemiológicos das infecções nosocomiais polimicrobianas da corrente sangüínea, identificar os fatores de risco relacionados a óbito e comparar a evolução das bacteremias polimicrobianas com o tempo d isolamento dos microorganismos. Métodos: estudo retrospectivo dos pacientes que apresentaram infecção da corrente sangüínea polimicrobiana (ICSP) adquirida n1 Hospital São Paulo entre 1 de janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2002. Resultados observou-se um aumento no número absoluto dessas infecções, tendo sido analisado 183 episódios de bacteremia polimicrobiana. A letalidade até o trigésimo dia após bacteremia foi de 29,5 por cento e a letalidade global de 49,2 por cento. A média de idade dos paciente; foi de 39,1 anos, com mediana de 42 anos e o local mais freqüente de internação foran as enfermarias clínicas. As fontes mais freqüentes da bacteremia foram: primária (26,2 por cento), pulmonar (21,9 por cento) e gastrintestinal (15,3 por cento). A associação de bacilo Gram negativo e coco Gram positivo foi a mais comumente encontrada (39,3 por cento). Os principais agentes dessas infecções foram: Acinetobacter baumanii, Pseudomonas aeruginosa Klebsiella spp. e o estafilococos coagulase negativo. As leveduras foram o sétimo agente mais isolado nessas infecções. A análise univariada identificou como fatores de risco relacionados ao óbito: gravidade da doença de base (classificação de McCabe) estágio da sepse, fonte da bacteremia, sonda vesical de demora, sonda nasogástrica entérica, ventilação mecânica, nutrição parenteral total, flebotomia, idade, presença bacilo Gram negativo, associação de bacilo Gram negativo e levedura e tempo d internação. Após análise por regressão logística múltipla, as variáveis independente mais associadas ao óbito (p<0,001) foram: a presença de choque séptico (OR= 8,76 flebotomia (OR= 7,76) e idade (OR= 1,029 ao ano), seguidas pela presença de seps grave (OR= 5,94; p= 0,010) e fonte respiratória da bacteremia (OR= 3,87; p= 0,030 Conclusões: as ICSP apresentaram elevada letalidade e ocorreram mais freqüentemente nos pacientes idosos, internados em enfermarias clínicas e com doença de base rapidamente fatal. Os fatores de risco independentes associados ao óbito foram presença de choque séptico e sepse grave, flebotomia, idade e fonte respiratória c bacteremia. Não houve correlação entre o tempo de isolamento dos microorganismos a evolução dos pacientes.
Assunto Infecções bacterianas
Bacteriemia
Infecção hospitalar
Fatores de risco
Mortalidade
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 67 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 67 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20376

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta