Avaliação das respostas imunes celulares induzidas pela cisteína proteinase de 30 kDa de Leishmania (L.) chagasi em humanos e cães com leishmaniose visceral

Avaliação das respostas imunes celulares induzidas pela cisteína proteinase de 30 kDa de Leishmania (L.) chagasi em humanos e cães com leishmaniose visceral

Título alternativo Evaluation of cellular immune responses induced by cysteine proteinase of 30 kDa from L. (L.) chagasi in humans and dogs with visceral leishmaniasis
Autor Pinheiro, Paulo Henrique da Costa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Barbiéri, Clara Lúcia Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O enfoquei do presente trabalho foi a avaliação das respostas linfoproliferativas de pacientes e cães selecionados pelas formas clínicas leishmaniose visceral americana de uma região endêmica da doença, Teresina, Piauí. Os antígenos utilizados na determinação dessas respostas foram o extra protéico de Leishmania (L.) chagasi (PAM) e a cisteína proteinase de 30 kDa (p3 nativa e recombinante de L. (L.) chagas]. A p30 nativa foi purificada de amastigotas de L. (L.) chagasi por eletroeluição (p30ee). A p30 recombinante foi obtida pela subclonagem e expressão do clone c 1.3 kb. Esse clone foi previamente amplificado em nosso laboratório a partir do DI\ genômico de amastigotas de L. (L.) chagasi e "primers" correspondentes à fase c leitura aberta do gene Ldccys1, codificador da cisteína proteinase de 30 kDa de L. (L.)chagasi. A expresso do clone de 1.3 kb foi feita no vetor bacteriano pHIS resultou em uma proteína recombinante de 47 kDa (rLdccys1) que foi purificada em coluna de níquel. O reconhecimento da rLdccys1 em experimentos de "Western blotting" pelo AcMo 2E5D3, reativo com a p30 nativa de L. (L.) chagas], mostrou que a rLdccys1 corresponde à p30 de L. (L.) chagas]. As respostas linfoproliferativas dos pacientes com LVA desencadeadas pelo PAM e a p30 nativa não foram significantemente diferentes e os índices c estimulação mais altos desencadeados por essas preparações antigênicas foram obtidos nos linfócitos dos pacientes assintomáticos. Por outro lado, as resposta proliferativas estimuladas pela proteína recombinante foram significantemente maiores comparadas às obtidas com PAM e a p30ee nos linfócitos dos paciente assintomáticos, oligossintomáticos e tratados. Quando os ensaios foram estendidos para um número maior de indivíduos, os linfócitos dos pacientes assintomáticos apresentaram significantes índices d estimulação em resposta à rLdccys1 com secreção de IFN-. Nos paciente oligossintomáticos a rLdccys1 induziu respostas linfoproliferativas mais baixas comparadas àquelas obtidas com os linfócitos dos indivíduos assintomáticos secreção de IFN-, IL-4 e IL-10. Por outro lado, os linfócitos dos paciente sintomáticos não mostraram níveis significantes de estimulação em presença da rLdccys1 e secretaram IL-4 e IL-10. Esses resultados demonstraram que resposta celulares do tipo Th1 estão relacionadas com o controle da LVA, enquanto que imunossupressão e um perfil Th2 predominam nos indivíduos com evolução da doença. Nos linfócitos dos pacientes tratados e curados a rLdccys1 desencadeou índices de estimulação significantes, porém não houve secreção de INF-, IL-4 ou IL-10 nos sobrenadantes dessa culturas…(au).
Assunto Leishmania
Cisteína endopeptidases
Imunidade celular
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 125 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 125 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20388

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta