Proliferação de pseudomonas aeruginosa luminescente, queratinócitos humanos cultivados e KGF em modelo experimental de queimadura

Proliferação de pseudomonas aeruginosa luminescente, queratinócitos humanos cultivados e KGF em modelo experimental de queimadura

Título alternativo Pseudomonas aeruginosa luminescent proliferation, KGF, human cultured keratinocytes in experimental burning model
Autor Sobral, Christiane Steponavicius Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia Translacional – São Paulo
Resumo Uma das principais funções da pele é a proteção do organismo. A perda da barreira cutânea provoca graves alterações, principalmente imunológicas. Quando os queratinócitos são lesados, como no caso de grandes queimaduras, é causada uma falha no mecanismo proteção do organismo, tanto mecânica quanto imunológica. Esta característica torna o paciente queimado bastante vulnerável à infecção por bactérias como Pseudomonas aeruginosa, apesar das crescentes inovações no tratamento das queimaduras Estes pacientes necessitam de cuidados especiais, muitas vezes de enxertos realizados com queratinócitos humanos cultivados. O fator de crescimento de queratinócitos (KGF), um fator de crescimento produzido por fibroblastos, mas com receptores em células epiteliais, tem como característica o efeito proliferador sobre os queratinócitos, sendo utilizado em diversos modelos experimentais de lesões cutâneas. Como ainda não havia sido estudado o comportamento de Pseudomonas aeruginosa em modelo experimental de queimaduras, na presença de KGF, foi realizado este estudo. Queratinócitos modificados geneticamente passando a produzir KGF foram cultivados, assim como um grupo de queratinócitos normais, cujo meio de cultura foi suplementado com KGF. Após a modificação genética, os dois grupos de queratinócitos foram cultivados sobre uma matriz de colágeno para a formação de epitélio, Após, foi realizada a queimadura da epiderme, com inoculação de duas cepas de Pseudomonas aeruginosa PA14. Esta bactéria foi modificada por plasmídios com o lux CDABE de Xenorhabdus luminescens e o gene para resistência à penicilina. Como esta bactéria tornaram-se luminescentes, a proliferação das bactérias pode ser detectada pela emissão de luz. A proliferação bacteriana foi avaliada por 12 horas utilizando-se um luminômetro. Foram testadas as células geneticamente modificadas, que produziam KGF. No grupo de queratinócitos normais, o KGF foi adicionado ao meio de cultura diferente em concentrações e em diferentes períodos. O KGF causou diminuição estatística significante na proliferação de Pseudomonas aeruginosa luminescentes. Tanto no grupo de queratinócitos modificados geneticamente, quanto no grupo suplementado. Os resultados sugerem que o KGF apresenta a mesma eficácia quando utilizado topicamente ou por modificação genética no modelo utilizado.
Assunto Fatores de Crescimento de Fibroblastos
Queratinócitos
Imunidade Inata
Queimaduras
Idioma Português
Data 2004
Publicado em SOBRAL, Christiane Steponavicius. Proliferação de pseudomonas aeruginosa luminescente, queratinócitos humanos cultivados e KGF em modelo experimental de queimadura. 2004. 103 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina. Universidade Federal de Sao Paulo. São Paulo, 2004.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 134 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20409

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Tese-9027.pdf
Tamanho: 2.049Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta