Avaliação radiográfica da evolução do regenerado na tíbia proximal após corticotomias por osteótomo ou serra de Gigli: estudo de 45 pacientes

Avaliação radiográfica da evolução do regenerado na tíbia proximal após corticotomias por osteótomo ou serra de Gigli: estudo de 45 pacientes

Título alternativo Radiographic evaluation of the regenerated bone in proximal tibia after corticotomy by osteotome or Gigli's saw: study of 45 patients
Autor Tuffi, Geraldo José Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Milani, Carlo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este trabalho consistiu da análise radiográfica do regenerado ósseo após a corticotomia proximal em 46 tíbias de 45 pacientes, nos quais utilizamos o método de Ilizarov, para a realização de alongamentos ou de transportes ósseos. Os pacientes foram subdivididos em dois grupos. No grupo A realizamos corticotomias com osteótomo (Técnica de Catagni) e no grupo B executamos osteotomias com serra de Gigli (Técnica de Paktiss).Os pacientes foram operados no Hospital São Paulo (UNIFESP) e no Hospital Universitário de Taubaté (UNITAU) e acompanhados no período de junho de 2000 a junho de 2004. A idade dos pacientes variou de 14 a 63 anos com média de 30 anos. O lado direito foi o mais acometido (61 por cento), assim como o sexo masculino (74 por cento). Os encurtamentos médios dos grupos A e B foram de 3,4cm, com variação de um a 10,8cm e dois a 9,3cm respectivamente. A falha óssea média no grupo A correspondia a 4,7cm (quatro a 17 cm) e no grupo B a média foi de 3cm (dois a 10,5cm). Com o objetivo de avaliarmos a homogeneidade do regenerado e seu comportamento evolutivo, as imagens radiográficas na incidência de frente e perfil foram digitalizadas e suas áreas transformadas em porcentagem. Para este cálculo utilizamos o programa "lmageJ versão 1.25s." A osteogênese foi estudada em quatro etapas: etapa I(após 30 dias do início da tração); etapa II- (próximo à metade do percurso); etapa III- (terminada a tração); etapa IV- (na consolidação). Nas etapas de I a IV analisamos os parâmetros: Área total; Homogeneidade e Eficácia. Nas etapas II e IV estudamos o IRC (Índice de formação entre o regenerado e a cortical). O tempo médio de seguimento nos dois grupos foi de 22 meses e quatro dias. Observamos maior incidência de complicações relacionadas com a área da corticotomia no grupo A. No ato cirúrgico, 14 pacientes (61 por cento) apresentaram corticotomias irregulares e sete (30,4 por cento) incompletas. No grupo B, a intercorrência cirúrgica mais freqüente foi a lesão da pele, ocorrendo em cinco pacientes (21,7 por cento). Durante o período de uso do fixador externo a intercorrência mais freqüente nos dois grupos foi a infecção superficial de pinos e fios. Com relação aos resultados, os testes (quiquadrado e exato de Fisher) revelaram superioridade do grupo B, quanto à área total de regenerado durante todo o estudo e à homogeneidade e eficácia nas três primeiras etapas. Entretanto, na etapa IV (consolidação), não foram observadas diferenças estatísticas entre os grupos A e B. O IRC médio foi de 65 por cento na etapa II e de 84 por cento na etapa IV. A comparação estatística do IRC entre os dois grupos não demonstrou significância. O comportamento da evolução do regenerado foi avaliado pelo somatório dos pontos atribuídos a cada parâmetro. No grupo A, os conceitos ficaram assim distribuídos: nenhum excelente; sete (30,4 por cento) muito bons; sete (20,4 por cento) bons e nove(39,1 por cento) regulares. No grupo B observamos: sete excelentes(30,4 por cento); 15 muito bons(65,2 por cento); um bom (4,3 por cento) e nenhum ruim. Finalmente, concluímos que as duas técnicas superior no grupo B, nas três primeiras etapas e, estatisticamente, ficou demonstrado que o comportamento evolutivo do regenerado foi melhor quando utilizamos a osteotomia por serra de Gigli.
Assunto Osteotomia
Regeneração Óssea
Técnica de Ilizarov
Alongamento Ósseo
Tíbia/radiografia
Osteotomy
Bone Regeneration
Ilizarov Technique
Bone Lengthening
Tibia/radiography
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 180 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 180 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20415

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta