Influência da terapia antiretroviral combinada sobre o comportamento das dermatoses associadas a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana(HIV)

Influência da terapia antiretroviral combinada sobre o comportamento das dermatoses associadas a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana(HIV)

Título alternativo Influency of highly active anti-retroviral therapy on dermatosis behavior associated to human immunodeficieny virus infection
Autor Oyafuso, Luiza Keiko Matsuka Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Petri, Valeria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O presente estudo tem como objetivo definir o impacto da terapia antiretroviral combinada sobre a apresentação das dermatoses classicamente associadas à infecção pelo HIV-1, além de identificar novas condições clínico-dermatológicas decorrentes do prolongamento da sobrevida dos indivíduos. O estudo iniciou com três grupos que iniciaram tratamento para avaliar a eficácia da monoterapia com Indinavir ou Zidovudina ou da combinação de ambos os medicamentos. Em seguida todos os participantes do projeto, na fase aberta, eram tratados com medicação HAART. A candidose foi a dermatose que mais refletiu as transformações ocasionadas por influência da HAART, com redução de 40,3 por cento para 14,1 por cento após uso de HAART. O prurigo foi a dermatose mais freqüente , seguida de perto pela xerodermia, resultados compatíveis com o esperado efeito retinóide. O herpes zoster apresentado como dermatose prévia em 19,7 por cento, ao longo do estudo novos casos foram sendo observados, sendo que a maioria deles apresentava níveis de CD4+ entre 250 e 500 células/mm3 e carga viral < 50 cópias/ml. Estes dados podem inferir u ma melhora das condições imunológicas ou possivelmente ao processo de reconstituição imune. Os aumento dos quadros de farmacodermia podem estar associados ao advento de combinações multi-drogas ou reações de hipersensibilidade. Os casos de herpes simples e papilomavirose não se alteraram após o uso de HAART, talvez por não ter tido tempo hábil de não serem influenciados pela mudança da resposta imunológica. A terapêutica com inibidor de protease não impediu o aparecimento de sarcoma de Kaposi, porém não houve progressão das lesões. As alterações mais comuns associados ao uso de HAART foram: queilite descamativa, xerodermia, alopecia, encravamento das unhas e paroníquia. Estudos posteriores devem dar ênfase, além de alterações associados ao uso de novos antiretrovirais nas manifestações cutâneas, não há suficiente informação sobre o papel da reconstituição imunológica nos portadores de HIV-1.
Assunto Terapia antirretroviral de alta atividade
HIV
Síndrome de imunodeficiência adquirida
Dermatologia
Idioma Português
Data 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 126 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 126 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20506

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta