Coeficiente padronizado de anos de vida perdidos, de Haenszel: comparação com o coeficiente padronizado de mortalidade geral, quanto à utilização como indicador de nível de saúde de populações

Coeficiente padronizado de anos de vida perdidos, de Haenszel: comparação com o coeficiente padronizado de mortalidade geral, quanto à utilização como indicador de nível de saúde de populações

Título alternativo Haenszel's standardized coefficient of lost years of life: a comparison with the standardized coefficient of general mortality with regard to its use as a health level indicator for populations
Autor Juliano, Yára Autor UNIFESP Google Scholar
Novo, Neil Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Goihman, Samuel Autor UNIFESP Google Scholar
Paiva, Elias Rodrigues De Autor UNIFESP Google Scholar
Leser, Walter Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The Lost Years of Life Rate (LYLR), proposed by Haenszel in 1950, but since then seldom mentioned in literature, was studied. By using reliable populational data from various countries, and from regions of the State of S.Paulo, they showed that: a) It is convenient to employ 75 years as the age limit for the calculation of the LYLR, as well as a ten-year interval for the age classes that follow the first and second ones (less than 1, and 1 to 4); b) by comparing the ranking of countries and regions, in accordance with their LYLR and by the Standardized mortality rate (SMR), with the corresponding ranking using Novo's comprehensive Indicator (Z) as a parameter, they verified that the discrepancy was smaller in the first case; c) variations in time, of both coefficients, in the countries studied, calculated by the annual variation rate (AVR), were better expressed by LYLR than by SMR; d) using the Infant mortality rate (IMR) as a parameter, the discrepancies in the ordering of AYR, based on LYLR, were significantly smaller than those based on SMR. It was concluded that the LYLR can, with advantage, replace the SMR.

Estudou-se o Coeficiente de Anos de Vida Perdidos (CAVP), proposto por Haenszel, em 1950, utilizando os dados populacionais confiáveis de países e das sub-regiões administrativas do Estado de São Paulo. Os resultados mostraram que: a) há conveniência em adotar 75 anos como idade limite, para o cálculo do CAVP, bem como intervalo de 10 anos para as classes etárias que se seguem às duas primeiras ( < 1 e 1 - 4 ); b) comparando as ordenações de países e de sub-regiões, segundo o CAVP e segundo o Coeficiente Padronizado de Mortalidade Geral (CMGP), com a correspondente segundo o Indicador Abrangente de NOVO (Z), adotado como referencial, verificou-se que as discrepâncias foram significantemente menores no caso do primeiro; c) a variação, no tempo, dos dois coeficientes, em países estudados, calculada pela taxa de variação anual (TVA), foi traduzida mais expressivamente pelo CAVP do que pelo CMGP; d) utilizando como referencial o Coeficiente de Mortalidade Infantil (CMI), as discrepâncias da ordenação da TVA, baseadas no CAVP, foram significantemente menores do que as baseadas no CMGP. Concluiu-se que o CAVP pode, com vantagem, substituir o CMGP.
Assunto Health status indicators
Mortality
Indicadores de saúde
Mortalidade
Idioma Português
Data 1987-04-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 21, n. 2, p. 108-122, 1987.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 108-122
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101987000200005
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89101987000200005 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/215

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0034-89101987000200005.pdf
Tamanho: 1.060Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta