The frequency of peripheral neuropathy in a group of HIV positive patients in Brazil

The frequency of peripheral neuropathy in a group of HIV positive patients in Brazil

Título alternativo Freqüência da neuropatia periférica no Brasil em um grupo de pacientes HIV positivo
Autor Zanetti, Claudia Autor UNIFESP Google Scholar
Manzano, Gilberto Mastrocola Autor UNIFESP Google Scholar
Gabbai, Alberto Alain Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Peripheral neuropathy is a common neurological complication occurring in asymptomatic and symptomatic stages of HIV infection. The most common syndromes are distal symmetric polyneuropathy, inflammatory demielinating polyneuropathy, poliradiculopathy, mononeuropathy, mononeuropathy multiplex and autonomic neuropathy. PURPOSE: To evaluate the frequency of peripheral neuropathy in a group of HIV seropositive outpatients in São Paulo, Brazil. METHOD: Over a period of 17 months, 49 HIV+ patients where evaluated clinically. Laboratory analysis and electroneuromyography were requested to all patients. RESULTS: >Thirty four (69.4%) of the 49 patients had the diagnosis of peripheral neuropathy established on clinical grounds. The most common sign was impairment (97.1%) of sensibility. Thirteen (33.3%) of the 39 that were subjected to electroneuromyography had features of peripheral neuropathy, being a sensitive-motor axonal neuropathy the most common. No abnormalities were found in the laboratory analysis performed in 42 patients, except in four who had VDRL positive. CONCLUSION: A peripheral neuropathy was frequently found upon clinical examination in our group of HIV positive individuals.

A neuropatia periférica é complicação neurológica comum, podendo ocorrer nas fases assintomáticas e sintomáticas da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). As síndromes mais comuns são a polineuropatia distal simétrica, polineuropatia desmielinizante inflamatória, polirradiculopatia, mononeuropatia, mononeuropatia múltipla e neuropatia autonômica. OBJETIVO: Avaliar a freqüência da neuropatia periférica em um grupo de pacientes HIV positivo em São Paulo, Brasil. MÉTODO: Em um período de 17 meses, foram avaliados clinicamente 49 pacientes HIV positivos. Foram solicitados exames laboratoriais e eletroneuromiografia (ENMG) para todos os pacientes. RESULTADOS: Foi estabelecido o diagnóstico clínico de neuropatia periférica em 34 (69,4%) dos 49 pacientes. O sinal neurológico mais comum foi a alteração da sensibilidade (97,1%). Treze (33,3%) dos 39 pacientes que realizaram a ENMG tiveram o diagnóstico de neuropatia periférica, sendo a neuropatia sensitivo-motora axonal o achado mais comum. Não foram encontradas alterações significativas nos exames laboratoriais (42 pacientes realizaram os exames), com exceção de quatro pacientes em que o VDRL foi positivo. CONCLUSÃO: A neuropatia periférica foi um achado freqüente no grupo de pacientes HIV positivo estudados clinicamente.
Assunto peripheral neuropathy
HIV
AIDS
neuropatia periférica
HIV
SIDA
Idioma Inglês
Data 2004-06-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 62, n. 2a, p. 253-256, 2004.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo)
Editor Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 253-256
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2004000200012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-282X2004000200012 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2151

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0004-282X2004000200012.pdf
Tamanho: 62.00Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta