O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória

O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória

Título alternativo Brazilian feminism since the seventies: revisiting a trajectory
Autor Sarti, Cynthia Andersen Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Based on the Brazilian experience in the last decades, the text approaches feminism as a phenomenon that, although enunciating women's emancipation in general and abstract terms, concretizes itself in specific social, cultural, political and historical contexts. Initially, the article shows feminism in Brazil, in the seventies, as a women's movement that was framed in opposition to the military dictatorship. In the following decades, it developed within the possibilities and limits of the process of political democratization. Nevertheless, the text argues that the difficulties faced by Brazilian feminism concerns not only the conjuncture constraints, but are related to structural impasses of feminism, due to the fact that women are not a universal category, except by the projection of our own cultural references. Their cultural and social existence implies diversity and institutes boundaries that cut the world culturally identified as feminine. As such, the analysis of feminism requires the reference to the context of its enunciation, which gives its meaning. Accordingly, the analysis of gender relations implies considering the notion of the person as conceived in the symbolic universe to which they refer.

Com base na experiência brasileira das últimas décadas, o texto aborda o feminismo como um fenômeno que, embora enuncie genérica e abstratamente a emancipação feminina, se concretiza no âmbito de contextos sociais, culturais, políticos e históricos específicos. O artigo mostra, inicialmente, o feminismo no Brasil, nos anos 1970, como um movimento de mulheres que se configura em oposição à ditadura militar e que foi se desenvolvendo, nas décadas seguintes, dentro das possibilidades e limites que se explicitaram no processo de abertura política. Argumenta-se, entretanto, que as dificuldades enfrentadas pelo feminismo brasileiro não dizem respeito apenas aos constrangimentos da conjuntura em que se manifestou, mas a impasses de ordem estrutural do feminismo, uma vez que as mulheres não são uma categoria universal, exceto pela projeção de nossas próprias referências culturais. Sua existência social e cultural implica a diversidade, instituindo fronteiras que recortam o mundo culturalmente identificado como feminino. A análise do feminismo, assim, requer a referência ao contexto de sua enunciação, que lhe dá o significado. Da mesma maneira, a análise das relações de gênero implica considerar a noção de pessoa, tal como concebida no universo simbólico ao qual se referem essas relações.
Assunto feminism
gender
context
cultural diversity
Brazilian history
feminismo
gênero
contexto
diversidade cultural
história do Brasil
Idioma Português
Data 2004-08-01
Publicado em Revista Estudos Feministas. Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, v. 12, n. 2, p. 35-50, 2004.
ISSN 0104-026X (Sherpa/Romeo)
Editor Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina
Extensão 35-50
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2004000200003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-026X2004000200003 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2188

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0104-026X2004000200003.pdf
Tamanho: 73.29Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta