Avaliação do posicionamento da agulha de veress durante o estabelecimento do pneumoperitônio pela técnica fechada, em porcos

Avaliação do posicionamento da agulha de veress durante o estabelecimento do pneumoperitônio pela técnica fechada, em porcos

Título alternativo Evaluation of the position of veress' needle tip during establishment of pneumoperitoneum by closed technique, in pigs
Autor Azevedo, João Luiz Moreira Coutinho Autor UNIFESP Google Scholar
Guindalini, Rodrigo Santa Cruz Autor UNIFESP Google Scholar
Azevedo, Otávio Cansanção Autor UNIFESP Google Scholar
Paiva, Vanessa Carla Autor UNIFESP Google Scholar
Delorenzo, Aline Google Scholar
Moreira, Márcia Bento Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica
Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo
Resumo BACKGROUND: To establish reliable evidence regarding the adequate positioning of the tip of a Veress needle in the interior of the peritoneal sac during the establishment of the pneumoperitoneum by the closed technique. METHODS: In 11 pigs, the needle was introduced in the peritoneal sac through the left hipocondrium. Tests of positioning of the tip of the instrument were carried out. Gas (CO2) was injected, and pressures, flows and volumes were registered periodically. The correct intraperitoneal position of the needle was confirmed and, subsequently, removed, being reintroduced in the right hipocondrium and placed under direct vision in the pre-peritoneal space. The same parameters were surveyed. RESULTS: The test of the draining was always positive in the peritoneum. Resistance to the infusion of serum in the peritoneal sac was not observed, but resistance was detected on 45.5% of cases in the pre-peritoneal space. Some serum was recouped in 63.5% of cases in the peritoneal sac and in 54.5% in the pre-peritoneal space. The dripping flowed freely in 66.6% of cases in the peritoneal sac and in 45.5% in the pre-peritoneal space. In the peritoneal sac, = 5mmHg initial pressure increased gradually during 120 seconds until reaching 15 mmHg. In the pre-peritoneal space, the initial pressure was of 15mmHg and oscillated between 12 and 15mmHg. The volume of gas injected was of 1500 ml in the peritoneal sac and of 100 ml in the pre-peritoneal space. CONCLUSION: Initial pressure of ±5mmHg is indicative of the tip of the needle being placed in the peritoneal sac, inside of which there should fit ten times more gas than in the pre-peritoneal space. When the tip of the Veress needle is placed in the interior of the peritoneal sac, the increase of intraperitoneal pressures and volumes can be predicted by statistics.

OBJETIVO: Estabelecer parâmetros fidedignos do posicionamento adequado da agulha de Veress na cavidade peritoneal durante o estabelecimento do pneumoperitônio pela técnica fechada. MÉTODO: Em 11 porcos a agulha foi introduzida na cavidade peritoneal através do hipocôndrio esquerdo. Provas de posicionamento da ponta do instrumento foram efetuadas. Insuflou-se CO2 e registraram-se periodicamente pressões, fluxos e volumes. A posição intraperitoneal da agulha foi confirmada e esta foi retirada, sendo re-introduzida no hipocôndrio direito e posicionada sob visão direta no espaço pré-peritoneal. Os mesmos parâmetros foram aferidos. RESULTADOS: A prova do escoamento foi sempre positiva no peritônio. Não se encontrou resistência à introdução de soro no peritônio em nenhum caso, mas sim em 45,5% dos casos no pré-peritônio. Soro algum foi recuperado em 63,5% no peritônio e em 54,5% no pré-peritônio. O gotejamento fluiu livremente em 66,6% das vezes no peritônio e em 45,5% dos casos no préperitônio. No peritônio, pressões iniciais de 5,20 mmHg aumentaram progressivamente durante 123 segundos até atingir 15 mmHg. No pré-peritônio a pressão inicial foi de 15,60 mmHg e oscilou entre 12 e 15,60 mmHg. O volume de gás injetado no peritônio foi de 1500 ml e de 100 ml no pré-peritônio. CONCLUSÕES: Aspiração e observação do escoamento e do gotejamento são importantes; recuperar ou não o soro é inconclusivo. Pressão inicial menor ou igual a 5 mmHg é indicativo da ponta da agulha no peritônio, onde devem caber dez vezes mais gás que no pré-peritônio. No peritônio os aumentos das pressões e dos volumes pode ser previstos mediante estatísticas.
Assunto Laparoscopy
Laparoscopic, surgery
Surgery, operative
Pneumoperitoneum, artificial
Pneumoperitoneum
Needles
Punctures
Peritoneal cavity
Surgery, minimally invasive
Surgery, veterinary
Laparoscopia
Cirurgia laparoscópica
Técnicas operatórias
Pneumoperitônio artificial
Pneumoperitônio
Agulhas
Punções
Cavidade peritoneal
Cirurgia minimamente invasiva
Cirurgia veterinária
Idioma Português
Data 2004-10-01
Publicado em Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 31, n. 5, p. 318-323, 2004.
ISSN 0100-6991 (Sherpa/Romeo)
Editor Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Extensão 318-323
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912004000500009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-69912004000500009 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2222

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0100-69912004000500009.pdf
Tamanho: 55.08Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta