Caracterizacao clinica, radiologica e molecular de osteogenese imperfeita autossomica recessiva em familia brasileira com consanguinidade parental

Caracterizacao clinica, radiologica e molecular de osteogenese imperfeita autossomica recessiva em familia brasileira com consanguinidade parental

Título alternativo Clinical, radiological and molecular characterization of autosomal recessive osteogenesis imperfecta in a Brazilian family with parental consanguinity
Autor Minillo, Renata Moldenhauer Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Descrever clinica e radiologicamente os individuos afetados pela Osteogenese Imperfeita (OI) (OMIM 613982) em uma familia endocruzada procedente de Bueno Brandao, MG; definir a mutacao genetica responsavel pela doenca e identificar variabilidade fenotipica intrafamiliar. Metodologia: Levantamento genealogico com visitas domiciliares de familia demonstrando consanguinidade em 8 geracoes, com tres individuos apresentando baixa estatura deformante diagnosticados com OI autossomica recessiva. Outro individuo afetado foi avaliado na regiao. Apos a avaliacao clinica morfologica classica e estudo radiologico do esqueleto foram coletadas amostras de sangue dos afetados e individuos saos da familia e encaminhadas para sequenciamento. Resultados: Os achados clinicos e radiologicos foram diferentes entre os afetados, ja que somente um deles apresenta ossos wormianos, afilamento de costelas e calcificacoes oem pipocao. As informacoes da genealogia permitiram levantar a hipotese de modelo de heranca autossomica recessiva. Nao foi possivel atraves dos dados clinicos e radiologicos definir um dos diversos tipos de OI descritos na literatura. No entanto, o sequenciamento do exoma revelou que o probando tem uma delecao de 19 pb em homozigose no exon 8 do gene SERPINF1, atualmente associado a OI tipo VI. Os demais afetados tambem apresentam a mesma delecao em homozigose e seus genitores apresentam esta delecao em heterozigose, o que foi confirmado pelo sequenciamento de Sanger. Discussao: Embora mutacoes no gene SERPINF1 tenham sido relacionadas a OI, esta mutacao nao havia sido descrita e a variabilidade fenotipica intrafamiliar provavelmente esta associada a interacao com outros genes e fatores epigeneticos ate o momento nao esclarecidos, sugerindo efeito fundador da doenca na populacao estudada Conclusao: Este estudo e pioneiro em identificar uma delecao parcial patogenica no exon 8 do gene SERPINF1 em brasileiros consanguineos de ancestralidade Portuguesa/Holandesa/Indigena causando OI autossomica recessiva deformante grave com variabilidade fenotipica intrafamiliar clinica e radiologica
Assunto Humanos
Osteogênese Imperfeita
Consanguinidade
GENE SERPINF1
Humanos
Idioma Português
Data 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 106 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 106 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22833

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta