Avaliacao do efeito fotoprotetor sistemico a radiacao ultravioleta B pelo consumo regular de licopeno sintetico ou in natura

Avaliacao do efeito fotoprotetor sistemico a radiacao ultravioleta B pelo consumo regular de licopeno sintetico ou in natura

Título alternativo Evaluation of systemic photoprotection against ultraviolet B radiation through regular consumption of synthetic or in natura lycopene: comparative and randomized study
Autor Sokoloski, Lethicia Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Fundamentos: os carotenoides sao agentes que contribuem para a fotoprotecao endogena. O licopeno, o mais potente dos carotenoides, e encontrado em alimentos, como o tomate. Objetivo: comparar o efeito fotoprotetor do licopeno sintetico (em capsulas) ao in natura (pasta de tomate). Material e Metodo: estudo de intervencao terapeutica, randomizado e comparativo, com duracao de 10 semanas e inclusao de 21 sujeitos de pesquisa, 11 no grupo capsula e 10 no grupo pasta de tomate. Para avaliar o efeito fotoprotetor, foram realizadas dosagens de licopeno serico pelo metodo de cromatografia liquida de alta resolucao e colorimetria antes e apos 24 h. da irradiacao da pele com simulador de radiacao ultravioleta B, para medir a variacao da cor a (ponto maximo do eritema apos 24 horas da irradiacao, comparada a pele normal). As avaliacoes foram realizadas no inicio e apos 4, 8 e 10 semanas. Os dados foram analisados por ANOVA com medidas repetidas. Resultados: tres sujeitos abandonaram o estudo apos 4 semanas. As dosagens de licopeno serico apresentaram grande variabilidade, impossibilitando analise estatistica. No grupo capsula variaram entre 0,15Lmol a 0,55 Lmol antes do tratamento e, apos 10 semanas, entre 0,20 Lmol a 0,73 Lmol e no grupo pasta de tomate variaram entre 0,2 Lmol a 0,5 Lmol antes do tratamento e, apos 10 semanas, entre 0,25 Lmol a 0,42 Lmol. Nao foi possivel visualizar clinicamente alteracao da dose eritematosa minima em todas as avaliacoes, nos dois grupos. Foi avaliada a cor a pela colorimetria na pele nao irradiada e 24 h. apos a irradiacao, antes e apos o tratamento. Observou-se reducao do a apos 10 semanas, nos dois grupos, com diferenca marginalmente significativa em relacao ao tempo (p=0,054) e ao grupo (p=0,066), favoravel a capsula. Conclusao: o consumo regular de licopeno, em capsula ou in natura, demonstrou tendencia favoravel a fotoprotecao sistemica, o que indica a utilidade de estimular a sua utilizacao atraves de fontes naturais ou sinteticas
Assunto Humanos
Carotenoides
Lycopersicon esculentum
Fator de Proteção Solar
Humanos
Idioma Português
Data 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 84 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 84 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22847

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta