Monitorizacao domiciliar para diagnostico da Sindrome da apneia obstrutiva do sono

Monitorizacao domiciliar para diagnostico da Sindrome da apneia obstrutiva do sono

Título alternativo Home sleep testing for Obstructive Sleep Apnea Syndrome: an accuracy study
Autor Zancanella, Edilson Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A Sindrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) e prevalente e necessita exames complementares para o diagnostico e avaliacao da gravidade. A Monitorizacao Portatil do Sono pode ser realizada na casa do paciente e custa menos que a polissonografia convencional. OBJETIVO: Comparar a monitorizacao assistida no laboratorio com a nao assistida domiciliar utilizando o mesmo equipamento. MATERIAL E METODOS: Quarenta pacientes com alta probabilidade de apresentarem SAOS foram submetidos a 02 monitorizacoes do sono em dias consecutivos com a seguinte montagem: 02 canais de eletroencefalografia (EEG), eletromiograma (EMG), eletro-oculograma (EOG), canula nasal e esforco respiratorio com cintas pletismograficas no torax e abdome, posicao corporal, frequencia cardiaca e oximetria. Metade dos pacientes foi randomizada para comecar na residencia (exame nao assistido) e a outra metade no laboratorio (exame assistido), usando o equipamento Embletta X100®. As principais variaveis do sono, o IAH, a preferencia pelo local de exame e os custos foram comparados. A analise dos exames foi realizada por observador cego ao procedimento. RESULTADOS: Dos 40 pacientes incluidos, em 06 pacientes houve perda dos dados. Dentre os 34 pacientes, 24 eram homens e 10 mulheres com idade media de 40,6 anos, IMC medio 28,02Kg/m2, Escala de Sonolencia de Epworth media de 10,2. Catorze pacientes (09 homens e 05 mulheres) comecaram o exame em casa e 20 no laboratorio (15 homens e 05 mulheres). A efiCiência do sono media foi 77,8% em casa e no laboratorio 80,4%. A comparacao quanto a distribuicao das fases nao demonstrou diferenca significante. Para os eventos respiratorios, o Coeficiente de Correlacao foi 0,89. Adotando-se o IAH com corte em 15 eventos/hora, observamos as seguintes proporcoes de concordancia: 1) Com o IAH ≤ 15 eventos/hora: foram 20 em casa e 24 no laboratorio; 2) Com IAH ≥ 15/hora, 12 em casa e 10 no laboratorio. Quando nao houve concordancia, a diferenca media no IAH foi de 11,5%. A sensibilidade e especificidade da monitorizacao domiciliar comparada a laboratorial foi 0,80 e 0,83 respectivamente. A saturacao da oxi-hemoglobina nao diferiu entre os grupos. O exame domiciliar foi a preferencia de 90 % dos pacientes. A monitorizacao domiciliar teve custo 25,1% menor que a laboratorial. CONCLUSAO: A monitorizacao portatil do sono assistida em laboratorio, em pacientes com chance de apresentar SAOS, apresenta excelente correlacao com a monitorizacao nao assistida domiciliar. A alta sensibilidade e especificidade e o menor custo do exame domiciliar sugerem que a utilizacao deste procedimento seja util na abordagem da SAOS, uma doenca de alta prevalencia e graves consequencias a Saúde
Assunto Humanos
Polissonografia
Monitorização Ambulatorial
Humanos
Idioma Português
Data 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 98 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 98 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22862

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta