Prevalencia de especies de Aspergillus em amostras de origem clinica/ambiental e analise de seu perfil de susceptibilidade

Prevalencia de especies de Aspergillus em amostras de origem clinica/ambiental e analise de seu perfil de susceptibilidade

Título alternativo Aspergillus species prevalence in clinical and environmental samples and susceptibility profile
Autor Negri, Clara Ezequiel Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Especies do genero Aspergillus sao responsaveis pela segunda e/ou terceira maior ocorrencia de infeccoes fungicas invasivas (IFIs) em hospitais terciarios. Na pratica clinica, essas infeccoes sao dificeis de diagnosticar e o tratamento tardio e muito frequente. Poucos centros medicos tem capacitacao para realizar a identificacao acurada de especies deste genero de fungos, visto que a formacao em micologia classica, bem como o dominio e disponibilidade de tecnicas moleculares sao requeridas para este diagnostico. Os casos de resistencia a antifungicos nao sao comuns na medicina contemporanea, mas o numero de isolados resistentes e fracasso terapeutico tem aumentado significativamente nas ultimas decadas. Sao escassos os dados no Brasil sobre a prevalencia de especies de Aspergillus e seu perfil de susceptibilidade a antifungicos. O presente estudo teve como objetivos analisar a distribuicao das especies do genero Aspergillus em 150 amostras clinicas/ambientais e avaliar a ocorrencia de cepas com valores de CIMs superiores ao cut-off epidemiologico proposto aos antifungicos comumente utilizados. A identificacao de especies do genero Aspergillus foi realizada pela abordagem polifasica, a qual inclui analise macro e micromorfologica, termotolerancia, sequenciamento e filogenia se necessario, (regiao ITS do rDNA e dos genes calmodulina e β-tubulina). Os isolados tambem foram avaliados quanto a tolerancia a cloreto de sodio (5% e 10%), cicloheximida (0,1% e 0,5 %) e producao de acidos organicos em CREA e acido aspergilico em AFPA. Foi avaliado o perfil de susceptibilidade in vitro dos 150 isolados frente a triazolicos (itraconazol, voriconazol e posaconazol) utilizando 2 diferentes metodos: microdiluicao em caldo e E-test. Os isolados com valores de cut-off superiores aos estabelecidos, tambem foram testados frente a anfotericina B, caspofungina e anidulafungina. A caracterizacao fenotipica, assim como o sequenciamento da regiao ITS separou os isolados em nove secoes, a saber: Circumdati, Clavati, Flavi, Flavipedes, Fumigati, Nidulantes, Nigri, Terrei e Usti. Utilizando a abordagem polifasica, 141/150 isolados foram identificados em nivel de especie. Com a abordagem realizada, nao foi possivel identificar 3/43 isolados pertencentes a secao Flavi e 6/17 da secao Nigri. Com relacao aos triazolicos testados, 141/150 isolados apresentaram valores de CIMs menores ou iguais ao cut-off epidemiologico estabelecido utilizando a metodologia padronizada. Dentre os isolados, 1/9 Circumdati, 1/9 Usti, 1/9 Nigri, 4/9 Fumigati e 2/9 Flavi apresentaram valores mais elevados frente a estes antifungicos; 2/9 apresentaram valores de CIM elevados tambem frente a anfotericina B (N. pseudofischeri e A. ochraceus). Somente o isolado de A. calidoustus apresentou valor de CIM elevado frente a caspofungina. Todos os nove isolados testados frente a anidulafungina apresentaram como valor de CIM a menor concentracao testada deste farmaco, demonstrando sua otima atividade in vitro. A falta de padronizacao da metodologia de E-test®, dificultou sua execucao e avaliacao do teste, principalmente no que diz respeito a leitura, prejudicando, assim, o estabelecimento de taxas de correlacao entre as duas metodologias testadas. Esta taxa foi classificada como marginal quando consideramos como equivalentes valores de ± uma diluicao e as taxas tornam-se aceitaveis quando consideramos como equivalentes valores de ± duas diluicoes. Os dados observados reforcam a importancia na identificacao acurada de especies de Aspergillus, visto que encontramos um numero substancial de especies cripticas que apresentam variacoes no perfil de susceptibilidade entre os isolados aos antifungicos comumente utilizados. Neste contexto, demonstramos a importancia na padronizacao da metodologia de E-test® para aumentar a confiabilidade do teste
Assunto Aspergillus
Suscetibilidade a Doenças
Diluição
Habilidades para Realização de Testes
Idioma Português
Data 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 142 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 142 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22864

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta