Análise da expressão do sistema OPG/RANKL e outras citocinas em tecido ósseo de pacientes com litíase renal

Análise da expressão do sistema OPG/RANKL e outras citocinas em tecido ósseo de pacientes com litíase renal

Título alternativo Bone expression of RANKL, osteoprotegerin (OPG) and other cytokines in idiopathic hypercalciuria (IH) patients
Autor Gomes, Samirah Abreu Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Heilberg, Ita Pfeferman Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os mecanismos envolvidos na doença óssea da Hipercalciúria Idiopática (HI) ainda permanecem desconhecidos. Citocinas tais como o receptor ativador do fator nuclear NF-kβ (RANK), seu ligante (RANKL) e a osteoprotegerina (OPG), dentre outras, são importantes reguladores da remodelação óssea. Até o momento, não existem estudos demonstrando a expressão óssea destas citocinas na Hipercalciúria Idiopática. O objetivo do presente estudo foi avaliar a expressão óssea de RANKL, OPG, interleucina 1α (IL-1α), fator de crescimento transformador β (TGF-β) e o fator de crescimento fibroblástico (bFGF) em pacientes com litiásicos com HI. Foram realizadas análises imunohistoquímicas de fragmentos ósseos calcificados obtidos de 36 biópsias ósseas previamente realizadas em pacientes litiásicos hipercalciúricos para estudo histomorfométrico no período de 1992 a 2005 nos Serviços de Nefrologia das Universidades Federal e Estadual de São Paulo (UNIFESP e USP). Para efeito de comparação utilizamos um grupo controle que constituiu de tecido ósseo posmortem obtido de 10 indivíduos saudáveis. Na análise histomorfométrica, os pacientes com HI apresentaram uma diminuição do volume ósseo (19,4 ± 7,0 vs 26,2 ± 8,3%, p=0,02), aumento da reabsorção óssea (8,3 ± 5,4 vs 2,6 ± 0,8%, p<0,001) e um aumento no tempo para a mineralização óssea (45,3 ± 31,4 vs 23,0 ± 2,4 dias, p<0,0001) quando comparados ao grupo controle. A imunohistoquímica revelou um aumento da expressão óssea para OPG e RANKL nos pacientes com Hipercalciúria Idiopática comparados aos controles (0,63 ± 0,60 vs 0,14 ± 0,15% e 0,90 ± 1,00 vs 0,27 ± 0,24%, p=0,03, respectivamente) enquanto que para IL-1α não se observou diferença estatística (1,0 ± 1,0 vs 0,7 ± 0,4%). A expressão óssea do RANKL foi significantemente maior em pacientes com HI que apresentaram elevada reabsorção óssea comparada aos com reabsorção óssea normal (1,10 ± 0,99 vs 0,50 ± 0,73%, p=0.03). A expressão óssea para o TGF-β mostrou-se reduzida nos pacientes HI em relação aos controles (0,54 ± 0,7 vs 1,48 ± 1,44%, p<0,003)diferentemente do bFGF que foi similar entre ambos. A expressão óssea do TGF-β se correlacionou diretamente com a superfície e volume osteóides e também com a superfície de mineralização óssea (r=0,36, r=0,50 e r=0,47, p<0,03) nos pacientes com HI. Concluímos que o aumento na expressão óssea do RANKL deve contribuir para a elevação na reabsorção óssea observada nos pacientes com HI. O aumento concomitante da expressão óssea da OPG deve ter sido secundário, na tentativa de antagonizar o efeito estimulante da reabsorção óssea induzida pelo RANKL. O achado da redução da expressão óssea do TGF-β sugere que esta citocina também tenha contribuído para o aumento da reabsorção óssea pela menor inibição do RANKL. Adicionalmente, a menor expressão do TGF-β pode estar relacionada ao retardo na mineralização óssea evidenciada nos pacientes com HI..
Assunto Hipercalciúria
Citocinas
Doenças ósseas
Osteoprotegerina
Ligante RANK
Idioma Português
Data 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 103 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 103 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23701

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta