Ambiente familiar e desenvolvimento cognitivo infantil: uma abordagem epidemiológica

Ambiente familiar e desenvolvimento cognitivo infantil: uma abordagem epidemiológica

Título alternativo Family environment and child's cognitive development: an epidemiological approach
Autor Andrade, Susanne Anjos Google Scholar
Santos, Darci Neves Google Scholar
Bastos, Ana Cecília Google Scholar
Pedromônico, Márcia Regina Marcondes Autor UNIFESP Google Scholar
Almeida-filho, Naomar De Google Scholar
Barreto, Mauricio L Google Scholar
Instituição Universidade Federal da Bahia Instituto de Saúde Coletiva
Universidade Federal da Bahia Departamento de Psicologia
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To assess the association between quality of stimulation in the family environment and child's cognitive development considering the impact of mother's schooling on the quality of stimulation. METHODS: A cross-sectional study comprising 350 children aged 17-42 months was carried out in central and peripheral areas of Salvador, Northeastern Brazil, in 1999. A socio-economic questionnaire was used, along with the Home Observation for Measurement of the Environment Scale (HOME Inventory), and the Bayley Scale for Infant Development. Bivariate and multivariate analyses were carried out through linear regression at 5% level of significance. RESULTS: There was a positive (beta=0.66) and statistically significant association between quality of stimulation in the family environment and child's cognitive development. Part of the effect was mediated by the mother's working circumstances and educational level. It was verified that a better quality of stimulation is provided for those who come early in the birth order in family, and live with only a few others under five years of age. This pattern of stimulation is better among children who live with their parents and whose mothers have better education, have a job and a partner involved in the family environment. CONCLUSIONS: Quality of stimulation in the family environment is crucial for child's cognitive development, besides the significant role of the available resources and family dynamics. The study findings show the pertinence to cognitive development of interventions which improve the quality of the environment and the child-caregiver relationship.

OBJETIVO: Analisar a associação entre a qualidade do estímulo doméstico e o desempenho cognitivo infantil, identificando o impacto da escolaridade materna sobre a qualidade dessa estimulação. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, com 350 crianças entre 17 e 42 meses, examinadas em 1999, em áreas centrais e periféricas de Salvador, Estado da Bahia. Utilizou-se um questionário socioeconômico, o inventário Home Observation for Measurement of the Environment Scale (HOME) para mensurar a estimulação no ambiente familiar, e a escala Bayley de desenvolvimento infantil. Foram realizadas análises univariadas e múltiplas, por meio da regressão linear, considerando nível de significância de 5%. RESULTADOS: Encontrou-se associação positiva (beta=0,66) e estatisticamente significante entre a qualidade da estimulação no ambiente doméstico e o desempenho cognitivo infantil. Parte do efeito da estimulação sobre a cognição foi mediada pela condição materna de trabalho e seu nível de escolaridade. Verificou-se que as crianças ocupando as primeiras ordens de nascimento, convivendo com reduzido número de menores de cinco anos, usufruem de melhor qualidade da estimulação no ambiente doméstico. Esse padrão de estimulação se mantém entre crianças convivendo com seus pais, cujas mães possuem melhor escolaridade, trabalham fora e convivem com companheiros no ambiente familiar. CONCLUSÕES: Confirma-se a importância da qualidade do estímulo doméstico para o desenvolvimento cognitivo infantil, além do relevante papel das condições materiais e dinâmica familiar. Os achados apontam a pertinência de ações de intervenção que favoreçam a qualidade do ambiente e da relação cuidador-criança para o desenvolvimento cognitivo.
Assunto Family relations
Cognition
Child development
Cross-sectional studies
Relações familiares
Cognição
Desenvolvimento infantil
Estudos transversais
Idioma Português
Data 2005-08-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 39, n. 4, p. 606-611, 2005.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 606-611
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000400014
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89102005000400014 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2596

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0034-89102005000400014.pdf
Tamanho: 47.86Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta