Crenças e atitudes educativas dos pais e problemas de saúde mental em escolares

Crenças e atitudes educativas dos pais e problemas de saúde mental em escolares

Título alternativo Parental beliefs and child-rearing attitudes and mental health problems among schoolchildren
Autor Vitolo, Ymara Lúcia Camargo Autor UNIFESP Google Scholar
Fleitlich-bilyk, Bacy Google Scholar
Goodman, Robert Google Scholar
Bordin, Isabel Altenfelder Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
King's College London Institute of Psychiatry Department of Child and Adolescent Psychiatry
Resumo OBJECTIVE: To verify the prevalence and identify the risk factors related to mental health problems among schoolchildren and its possible association with the beliefs and educational attitudes of parents/caretakers. METHODS: Cross-sectional study with a stratified probabilistic sample (n=454) of first to third-graders from public and private schools in Southeastern Brazil. Standardized instruments were administered to parents/caretakers by trained interviewers, including screening questionnaires for mental health problems among children and parents/caretakers; a questionnaire on beliefs and attitudes; and a questionnaire for socio-economic status. Chi-square tests and logistic regression models were used for statistical analysis. RESULTS: We found 35.2% prevalence of clinical/borderline cases among students. Parents/caretakers that believed in corporal punishment as a child-rearing method used physical aggression towards their children more frequently (64.8%). Logistic regression models showed that the act of hitting the child with a belt was associated to conduct problems and to overall mental health problems among schoolchildren in the presence of other risk factors: child gender (male), parents/caretakers with mental health problems, and adverse socioeconomic conditions. CONCLUSIONS: The high prevalence of mental health problems among schoolchildren and its association with child-rearing methods and mental health problems among parents/caretakers indicate the need for psycho-educational interventions aimed to reduce physical abuse and mental health problems in childhood.

OBJETIVO: Verificar a prevalência e fatores de risco para problemas de saúde mental em escolares e sua possível relação com crenças e atitudes educativas de pais/cuidadores. MÉTODOS: Estudo de corte transversal; com amostra probabilística e estratificada (n=454) de escolares das primeiras três séries do ensino fundamental de escolas públicas e particulares de Taubaté, Estado de São Paulo. Foram aplicados instrumentos padronizados a pais/cuidadores por entrevistadores treinados: questionários de rastreamento de problemas de saúde mental em crianças e pais/cuidadores; questionário de crenças e atitudes educativas; questionário de classificação econômica. As seguintes análises estatísticas foram utilizadas: testes de qui-quadrado e modelos de regressão logística. RESULTADOS: A prevalência dos casos clínicos/limítrofes entre os escolares foi de 35,2%. Pais/cuidadores que acreditavam na punição física como método educativo agrediam fisicamente seus filhos com maior freqüência (64,8%). Modelos de regressão logística revelaram que a atitude de bater com o cinto esteve associada a problemas de conduta e a problemas de saúde mental em geral nos escolares, na presença de outros fatores de risco: sexo da criança (masculino), pais/cuidadores com problemas de saúde mental e condições socioeconômicas desfavoráveis. CONCLUSÕES: A alta prevalência de problemas de saúde mental em escolares e sua associação com métodos educativos e problemas de saúde mental dos pais/cuidadores indicam a necessidade de intervenções psicoeducacionais para reduzir o abuso físico e os problemas de saúde mental na infância.
Assunto Mental health
Child rearing
Child abuse
Health knowledge
Child psychiatry
Cross-sectional studies
Risk factors
Logistic models
Prevalence
Saúde mental
Educação infantil
Maus-tratos infantis
Conhecimentos
Psiquiatria infantil
Estudos transversais
Fatores de risco
Modelos logísticos
Prevalência
Idioma Português
Data 2005-10-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 39, n. 5, p. 716-724, 2005.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 716-724
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000500004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89102005000500004 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2737

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0034-89102005000500004.pdf
Tamanho: 61.38Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta