Apontamentos socioantropológicos sobre comunidade e saúde

Apontamentos socioantropológicos sobre comunidade e saúde

Título alternativo Socioanthropological notes on community and health
Autor Gomes, Mara Helena de Andrea Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The notion of community utilized by planners and healthcare providers is doubly deceptive. On the one hand, it presupposes apparent equality and absence of conflicts between people in the same population group. On the other hand, it supposes a certain possibility of intervention by healthcare services in relation to behavioral patterns that are considered undesirable, from the point of view of disease control or health promotion. Used this way, this concept ends up concealing the social nature of the target population: poor people and the setbacks that their condition of poverty causes. To bring to light the problem of the euphemism implicit in this notion of community, the objective of the present article was to present Simmel's radically relational approach for characterizing the subordination of these population groups to healthcare policies and programs. For this purpose, the starting point was the appropriation of the sociological notion of community by the healthcare services, from Tönnies' classic formulation and its influence on the authors of the Chicago school.

A noção de comunidade utilizada pelos planejadores e prestadores de assistência à saúde é duplamente enganosa. De um lado, pressupõe uma aparente igualdade e ausência de conflitos entre pessoas de um mesmo grupo populacional. De outro lado, supõe uma certa possibilidade de intervenção dos serviços sobre comportamentos considerados indesejáveis, do ponto de vista do controle de doenças ou de promoção de saúde. Utilizada deste modo, acaba encobrindo a natureza social da população-alvo: os pobres e os desarranjos que a condição de pobreza acarreta. Para problematizar o eufemismo implícito nesta noção de comunidade, o objetivo do presente artigo foi apresentar a abordagem radicalmente relacional de Simmel para caracterizar a subordinação destes grupos populacionais às políticas e programas de atenção à saúde. Para esta finalidade, partiu-se da apropriação da noção sociológica de comunidade pelos serviços de saúde, a partir da clássica formulação de Töennies e sua influência nos autores da Escola de Chicago.
Assunto Social development
Social inequity
Health inequity
Health services
Health promotion
Desenvolvimento social
Iniqüidade social
Iniqüidade na saúde
Serviços de saúde
Promoção da saúde
Idioma Português
Data 2006-06-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 40, n. 3, p. 528-536, 2006.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 528-536
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000300023
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89102006000300023 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3085

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0034-89102006000300023.pdf
Tamanho: 54.78Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta