Drenagem torácica pós-pneumonectomia: sim ou não? Estudo retrospectivo

Drenagem torácica pós-pneumonectomia: sim ou não? Estudo retrospectivo

Título alternativo Post-pneumonectomy thoracic drainage: to drain or not to drain? A retrospective study
Autor Thomson, João Carlos Google Scholar
Ferreira Filho, Olavo Franco Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Estadual de Londrina Programa de Mestrado e Doutorado em Medicina e Ciências da Saúde
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Estadual de Londrina Centro de Ciências da Saúde Departamento de Clínica Médica
Resumo OBJECTIVE: To evaluate the need for post-pneumonectomy thoracic drainage. METHODS: This was a retrospective study of 46 patients having undergone pneumonectomy in the Thoracic Surgery Department of the Londrina University Hospital between January of 1998 and December of 2004. Patients were divided into two groups: those having been submitted to drainage and those not having been. The diseases involved were lung cancer, bronchiectasis and tuberculosis. RESULTS: Drainage was used in 21 patients, whereas no drainage was used in 25. The most common postoperative complication was subcutaneous emphysema (12 cases). Hospital stays were of shorter duration among patients who were not submitted to drainage than among those who were (mean, 6.5 days vs. 10.2 days). No serious postoperative complications were observed in the group of patients not submitted to drainage. CONCLUSION: The findings that evolutions were more favorable and hospital stays were shorter for the patients not submitted to drainage call into question the need for routine post-pneumonectomy drainage.

OBJETIVO: Avaliar a necessidade de realização de drenagem torácica pós-pneumonectomia. MÉTODOS: É relatada a experiência do Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital Universitário de Londrina de janeiro de 1998 a dezembro de 2004. Trata-se de um estudo retrospectivo, em que foram analisados 46 pacientes pneumonectomizados, divididos em dois grupos: drenados e não drenados. As doenças foram as mesmas: neoplasia, bronquiectasia e tuberculose. RESULTADOS: Foram drenados 21 pacientes e 25 não o foram. A complicação pós-operatória mais comum foi o enfisema subcutâneo (12 casos), sendo o tempo de internação menor (6,5 dias) nos pacientes não drenados em relação aos drenados (10,2 dias), sem que tenham sido observadas complicações graves. CONCLUSÃO: A evolução favorável dos 25 pacientes não drenados e o tempo de internação menor levam ao questionamento da necessidade de drenagem rotineira da cavidade pleural pós-pneumonectomia.
Assunto Drainage
Pleural cavity
Pneumonectomy
Postoperative care
Postoperative complications
Retrospective studies
Drenagem
Cavidade pleural
Pneumonectomia
Complicações pós-operatória
Estudos retrospectivos
Idioma Português
Data 2006-08-01
Publicado em Jornal Brasileiro de Pneumologia. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, v. 32, n. 4, p. 290-293, 2006.
ISSN 1806-3713 (Sherpa/Romeo)
Editor Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Extensão 290-293
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132006000400006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1806-37132006000400006 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3210

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S1806-37132006000400006.pdf
Tamanho: 79.09Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta