The role of biological adhesive and suture material on rabbit hepatic injury

The role of biological adhesive and suture material on rabbit hepatic injury

Título alternativo O papel da cola biológica e do fio de sutura na lesão hepática em coelhos
Autor Taha, Murched Omar Autor UNIFESP Google Scholar
De Rosa, Karen Autor UNIFESP Google Scholar
Fagundes, Djalma José Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To evaluate the performance of fibrin adhesive and absorbable suture thread in the repairing of hepatic injures in rabbits. METHODS: New Zealand albino rabbits (n=16), males and females, from 5 to 6 months old, average weight of 2500 g, were distributed randomly in Group A (n-8) - biological adhesive and Group B (n=8) - suture thread. After anesthesia with acepromazine (1mg/Kg), ketamine (50mg/Kg) and fentanyl EV (0,5ml/Kg), it was performed a supra-umbilical median laparotomy, the median hepatic lobe was isolated and subjected to severe standardized incision. In the group B the incision edges were sutured with simple 4-0 catgut, in separated stitches. It was evaluated the total time of the procedure, the hemostasis time and hemorrhage volume. In the 21st post-operative day it was evaluated the presence of adherences and signs of infection in the abdominal cavity, and it was followed by the resection of the median hepatic lobe for the histological evaluation. RESULTS: The calculated mean and standard deviation showed that the procedure time, hemostasis time and bleeding amount were significantly smaller in the group of animals subjected to the use of fibrin adhesive. The surgical abdominal incision was significantly more extensive in the animals of the suture group (average of 6,8 cm) in relation to the adhesive group (average of 3,8), as well as the number of occurrences of abscesses. The adherence of the intestinal ansas to the sutured incision (group B) occurred in five cases and the major omentum adhesion occurred in all animals. In the group A (adhesive) it occurred adherences of the major omentum in three cases. The microscopy of the hepatic incision repaired with the use of fibrin showed that the inflammatory infection is less intense, not associated with the formulation of secretion in the abscesses, and therefore has a more favorable later cicatricial aspect than a conventional suture with surgical thread. CONCLUSION: In agreement with other biomedical literature works, the fibrin adhesive is a viable option for the performance of hemostasis in a animal model (rabbit) with severe hepatic injury.

OBJETIVO: Avaliar o desempenho do adesivo de fibrina e do fio de sutura absorvível no reparo de lesões hepáticas provocadas em coelhos. MÉTODOS: Coelhos (n=16),Nova Zelândia, albinos, machos e fêmeas, 5 a 6 meses de idade, peso médio de 2500 gramas, foram distribuídos aleatoriamente em Grupo A(n = 8) - adesivo biológico e Grupo B(n=8) - fio de sutura. Após anestesia com acepromazina (1mg/Kg), quetamina (50mg/Kg) e fentanylEV (0,5ml/Kg), realizou-se laparotomia mediana supra-umbilical, o lobo hepático médio foi isolado e submetido a uma lesão padronizada grave. No grupo A foi aplicado o adesivo de fibrina. No grupo B as bordas da lesão foram suturadas com categute 4-0 simples, em pontos separados. Avaliou-se o tempo total de procedimento, tempo de hemostasia e volume da hemorragia. No 21º dia de pós-operatório avaliou-se a presença de aderências e sinais de infecção na cavidade e procedeu-se a ressecção do lobo hepático médio para a avaliação histológica. RESULTADOS: A média e desvio-padrão calculados mostraram que o tempo de procedimento, tempo de hemostasia e quantidade de sangramento foram significantes menores no grupo de animais submetidos ao uso do adesivo de fibrina. A extensão da ferida operatória foi significativamente maior nos animais do grupo sutura (média de 6,8cm) em relação ao grupo adesivo (média de 3,8cm) assim como o número de vezes da ocorrência de abscessos. A aderência de alças intestinais à lesão suturada (grupo B) ocorreu em 5 casos e adesão do omento maior ocorreu em todos os animais. No grupo A (adesivo) foram observadas aderências do omento maior em três casos. A microscopia da lesão hepática reparada com o uso de fibrina mostrou que a reação inflamatória é menos intensa, não está associada à formação de secreção ou abscessos e com isso tem um aspecto cicatricial tardio mais favorável que uma sutura convencional com fio cirúrgico. CONCLUSÃO: Em concordância com outros trabalhos da literatura biomédica, o adesivo de fibrina é uma opção viável para realizar hemostasia em um modelo animal (coelho) com lesão hepática grave.
Assunto Liver
Fibrin Tissue Adhesive
Sutures Techniques
Fígado
Adesivo Tecidual de Fibrina
Técnicas de Sutura
Idioma Inglês
Data 2006-10-01
Publicado em Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 21, n. 5, p. 310-314, 2006.
ISSN 0102-8650 (Sherpa/Romeo)
Editor Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Extensão 310-314
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502006000500007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-86502006000500007 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3316

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0102-86502006000500007.pdf
Tamanho: 221.1Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta