Effects of structural injure in the bile bacterial contamination after balloon transduodenal sphincteroplasty (papillary dilation) in dogs

Effects of structural injure in the bile bacterial contamination after balloon transduodenal sphincteroplasty (papillary dilation) in dogs

Título alternativo Efeitos da lesão estrutural na contaminação bacteriana biliar após a esfincteroplastia transduodenal (dilatação papilar) em cães
Autor Zavadinack Netto, Martin Google Scholar
Fagundes, Djalma José Autor UNIFESP Google Scholar
Bandeira, César Orlando Peralta Google Scholar
Instituição State University of Maringá Surgery Department
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To evaluate, in dogs, the biliary sphincter subjected to dilation by hydrostatic balloon by the point of view of structural alterations of the papilla and the biochemestry and bacterial contamination of the bile. METHODS: Twenty dogs were submitted to laparotomy, duodenotomy, and enlargement of the major duodenal papilla- GA(n=10) - with balloon of 8mm inflated with pressure of 0,5atm, during 2 minutes or to the sham procedure - GB(n=10). Blood samples collected on times t(0day), t(7days) and t(28days) were subjected to dosages of alkaline phosphatase (ALP) and gamma-glutamyltransferase (GGT) for cholestasis evaluation. The collected material from the gall bladder at the same times were registered and numbered to be submitted to culture in BHI, blood agar (rich, non-selective element) and Mac Conkey (selective element for Gram-negative bacillus. On the 28th day three fragments of the papilla were tranversally cut by the choledoc axis 3mm from the duodenal papilla and the cuts, stained with hematoxylin-eosin and Masson's tricome, were evaluated according to their inflammatory reaction. RESULTS: The GGT and ALP averages on the three periods in the groups A and B did not show significant differences, not being characterizes the cholestasis. The bacterian contamination was significantly higher in GA (2,19) than in GB (1,96); the contamination was lower in the initial time compared with 7 and 28 days (t0<t7 and t28) in GA and GB (t0<t28). The chronic inflammatory alteration of the mucosa occurred in 60% of the GA animals and in 80% of the GB animals. There was not mural inflammation. CONCLUSION: The duodenal papilla dilation or its simple manipulation leads to the bacterial contamination of the gall bladder, not associated with cholestasis. The morphologic lesions are more intense in the late phase, not associated with an eventual papilla esthenosis.

OBJETIVO: Avaliar, em cães, a papila duodenal maior submetida à dilatação por balão hidrostático sob o ponto de vista das alterações estruturais da papila e da bioquímica e contaminação bacteriana da bile. MÉTODOS: Vinte cães foram submetidos a laparotomia, duodenotomia, dilatação da papila maior GA (n=10) - com balão de 8mm insuflado com pressão de 0,5atm, durante 2 minutos ou ao procedimento simulado - GB(n=10). Amostras de sangue coletadas nos tempos t(0dia), t(7dias) e t(28dias) foram submetidas às dosagens da fosfatase alcalina (FA) e gama-glutamil-transferase (GGT) para avaliação da colestase. Material colhido da vesícula biliar nos mesmos tempos foi registrado e numerado para ser submetido à cultura em BHI, ágar sangue (meio rico não seletivo), e Mac Conkey (meio seletivo para bacilos Gram-negativos). No 28º. dia três fragmentos da papila forma cortados transversalmente ao eixo do colédoco a 3mm da papila duodenal e os cortes corados em hematoxilina-eosina e tricômio de Masson e avaliados quanto a reação inflamatória. RESULTADOS: As médias da GGT e da FA nos três períodos nos grupos A e B não mostraram diferenças significantes, não sendo caracterizada a colestase. A contaminação bacteriana foi significante maior em GA(2,19) que no GB(1,96); a contaminação foi menor no tempo inicial em relação aos 7 e 28 dias( t0<t7 e t28) no GA e no GB (t0<t28). A alteração inflamatória crônica da mucosa ocorreu em 60% dos animais do GA e em 80% do GB. Não houve inflamação mural. CONCLUSÃO: A dilatação da papila duodenal ou a sua simples manipulação leva a contaminação bacteriana da vesícula biliar, não associada à colestase. As lesões morfológicas são mais intensas na fase aguda e não correspondem a lesões crônicas mais extensas na fase tardia, não estando associadas a uma eventual estenose da papila.
Assunto Sphincterotomy
Transhepatic
Sphincter of Oddi
Dogs
Esfincterotomia Transhepática
Esfíncter da Ampola Hepatopancreática
Cães
Idioma Inglês
Data 2006-10-01
Publicado em Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 21, n. 5, p. 348-353, 2006.
ISSN 0102-8650 (Sherpa/Romeo)
Editor Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Extensão 348-353
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502006000500013
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-86502006000500013 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3320

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0102-86502006000500013.pdf
Tamanho: 229.8Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta