Aspectos clínicos e epidemiológicos da infecção causada pelo herpes vírus humano 8 após o transplante renal

Aspectos clínicos e epidemiológicos da infecção causada pelo herpes vírus humano 8 após o transplante renal

Título alternativo Clinical and epidemiological aspects of the infection caused by human herpesvirus 8 after renal transplantation
Autor Gomes, Pollyane Sousa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Camargo, Luiz Fernando Aranha Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Infectologia - São Paulo
Resumo O sarcoma de Kaposi (KS) é um tumor vascular que pode se desenvolver em receptores de transplante de órgãos sólidos sendo resultado de uma infecção primária ou reativação de um gamaherpesvírus, o herpesvírus associado ao sarcoma de Kaposi, também conhecido como Herpesvírus humano 8 (HHV-8). Os objetivos deste estudo são avaliar os aspectos clínicos e epidemiológicos da infecção pelo HHV-8 em receptores de transplante renal, investigar os possíveis fatores de risco associados à infecção primária pelo HHV-8 nesta população estudada e comparar três métodos sorológicos (imunofluorescência indireta para detectar anticorpos contra antígenos nuclear latente [LANA], imunofluorescência indireta para detectar anticorpos contra antígenos da fase lítica [LÍTICO], técnica imunoenzimática para detectar anticorpos contra antígeno recombinante do capsídeo viral-ORF 65 [ELISA-LÍTICO]) e um método molecular para a detecção do HHV-8. O estudo foi realizado no Hospital do Rim e Hipertensão da Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina. Este hospital realiza uma média de um transplante renal por dia, sendo atualmente o maior centro mundial em número de transplantes realizados. Em 70% dos casos, o transplante ocorre com doador vivo relacionado. Todos os receptores soropositivos para HHV-8 previamente ao transplante e também, os receptores soronegativos, mas que possuíam doadores soropositivos para HHV-8, foram seguidos mensalmente. Os receptores soronegativos com doadores soronegativos foram avaliados no terceiro e sexto mês após o transplante para avaliar a ocorrência ou não da infecção primária causada pelo HHV-8, e seus aspectos clínico-epidemiológicos. A taxa de infecção primária encontrada no Hospital do Rim e Hipertensão – Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina foi de 6,58%. Apenas um dos receptores que soroconverteu apresentava doador soropositivo no pré-transplante. A maioria dos pacientes soroconverteu dentro dos três primeiros meses após o transplante. A infecção primária causada pelo HHV-8 se mostrou com um quadro benigno e oligossintomático. Apenas um paciente deste estudo, durante o momento da soroconversão, apresentou rash cutâneo maculopapular difuso durando em torno de uma semana, com regressão espontânea, sem nenhum outro sinal e sintoma associado. Nenhum paciente do estudo desenvolveu SK no período de dois anos de seguimento. Pela análise univariada, nenhum dos fatores de risco analisados foi associado com soropositividade entre receptores de transplante (modalidade de diálises, uso de drogas ilícitas, doenças sexualmente transmissíveis, hepatites B e C, transfusões sangüíneas prévias). Somente a faixa etária dos receptores de transplante renal associada à prevalência do HHV-8 antes do transplante renal, foi encontrada uma positividade (p=0,023), pois o vírus é mais freqüente em uma faixa etária mais avançada, sendo a média de idade destes pacientes de 44,41 anos. Esta significância estatística não se manteve quando analisados os 44 receptores soropositivos (pré e pós o transplante). A soropositividade para HHV-8 não foi associada a aumento na freqüência de infecções, rejeição aguda, perda do enxerto e óbito após o transplante renal quando comparada com pacientes soronegativos. Houve uma tendência marginal ao aumento na freqüência de neoplasias após transplante entre os soropositivos (p=0,072). O método sorológico que apresentou melhor desempenho para o diagnóstico de infecção pelo HHV-8 foi o IFA-LÍTICO, identificando 83,34% das amostras soropositivas ao HHV-8 e nos pacientes que soroconverteram foi encontrada em 100% das amostras. A PCR não se mostrou um bom método diagnóstico nesta infecção, pois só foi positiva em 0,7% das amostras estudadas.

The Kaposi sarcoma (KS) is a vascular tumor that can develop in recipients of solid tissue transplants as a result of either primary infection or reactivation of a gammaherpesvirus, the Kaposi sarcoma associated herpesvirus, also known as human herpesvírus-8 (HHV-8). The objectives of this study are to evaluate the serum conversion of infection by HHV-8 in renal transplant recipients, to investigate the potential risk factors associated to the primary infection by HHV-8 in the studied population e to compare three serological methods (indirect immunofluorescence for the detection of antibodies against latency-associated nuclear antigen [LANA], indirect immunofluorescence for the detection of antibodies against lytic phase antigen [LÍTICO], immunoenzymatic technique for the detection of antibodies against recombinant viral capsid antigen-ORF 65 [ELISA-LÍTICO]) and PCR for the detection of HHV-8. The study was conducted at Hospital do Rim e Hipertensão of Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina. Such hospital performs on average one renal transplant a day, being now the world’s largest site in number of transplants performed. In 70% of the cases the transplant is performed with a living related donor. The serum conversion rate found at Hospital do Rim e Hipertensão – Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina was 6.58%. Only one of the recipients presenting serum conversion had a serum positive donor on pretransplantation. Most patients presented serum conversion within the first three months after transplantation. Compared to the rate found by other countries, such as 12% in Switzerland, 8.6 to 9.39% in Italy and 2.09% in France, also performed in renal transplant recipients, it was considered intermediary. The primary infection caused by HHV-8 was shown with a benign and oligosymptomatic status. The patient of this study during serum conversion, presented only diffuse maculopapular rash lasting around one week, with spontaneous regression, without any other associated sign and symptom, and no patient developed SK during the two-year follow up period. According to the single variable analysis, none of the risk factors analyzed was associated to seropositivity among transplant recipients (type of dialyses, use of illegal drugs, sexually transmitted diseases, hepatitis B and C, previous blood transfusions). Positivity (p=0,023) was found exclusively at the age range of the renal transplant recipients associated to the prevalence of HHV-8 before the renal transplant, because the virus is more frequent in an advanced age range, being the average age equal to 44.41 years. Such statistical significance was not maintained when the 44 seropositive recipients were analyzed (pre- and post-transplant). Upon use of the immunosuppressive agent Daclizumab there was a statistical significance (p=0.026), in the analysis of seropositive patients (pre- and post-transplant) for HHV-8 as compared to the seronegative ones. Regarding the evaluation of acute rejection, graft loss and death among patients infected and not infected by HHV-8 after renal transplantation, there was no statistical significance. Upon the analysis of post-transplant neoplasm of patients seropositive for HHV-8 the trend towards significance was shown (p=0.072). The association of the infection caused by HHV-8 in pre- and post-transplant related to other bacterial, viral, fungal and endemic infections, there was no statistical significance. The only serological method presenting the best performance for the diagnosis of infection by HHV-8 was IFA-LÍTICO, identifying 83.34% of the HHV-8 seropositive samples. Considering two diagnostic tests, the combination of IFA-LÍTICO and ELISALÍTICO was the one presenting the best performance, identifying 100% of the seropositive samples. The PCR was not a good diagnostic method for this infection, because it was positive in only 0.7% of the studied samples.
Assunto Herpesvírus humano 8
Transplante renal
Receptores de transplante
Soroconversão
Infecção aguda
Diagnóstico
Idioma Português
Data 2009
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 179 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39329

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-39329.pdf
Tamanho: 1.953Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta