Epidemiologia Molecular Aplicada ao Controle de Infecções por Enterococos Resistentes à Vancomicina (VRE) em um Hospital de Oncologia Pediátrica

Epidemiologia Molecular Aplicada ao Controle de Infecções por Enterococos Resistentes à Vancomicina (VRE) em um Hospital de Oncologia Pediátrica

Título alternativo Molecular Epidemiology Applied to the Control of Vancomycin-resistant Enterococci (VRE) Infections in a Pedriatric Oncology Hospital
Autor Santiago, Kelly Aline de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pignatari, Antonio Carlos Campos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Infectologia - São Paulo
Resumo INTRODUÇÃO: O câncer pediátrico representa entre 0,5 - 3% dos tumores. As infecções por VRE, nesta população, representam um risco potencial, relacionado a altas taxas de morbi-mortalidade especialmente na aquisição de VRE-EFM, devido ao seu maior poder de virulência e resistência. Embora a relação colonização versus infecção seja relativamente baixa, a probabilidade do paciente oncológico desenvolver infecção pela cepa colonizante é considerável. OBJETIVOS: Devido à alta incidência de VRE isolados em pacientes do IOP, entre Janeiro a Agosto/08, foram adotadas ações emergenciais, com a finalidade de rastrear os isolados de VRE e conter a sua disseminação na instituição. O presente estudo teve como objetivo analisar epidemiologicamente os isolados de VRE no IOP no período de Janeiro/08 a Março/09. MATERIAL E MÉTODOS: No estudo retrospectivo foi realizado levantamento de dados, seguidos de análises fenotípicas e genotípicas de amostras de enterococos durante os oito primeiros meses de 2008, com a finalidade de verificar a incidência de pacientes colonizados e/ou infectados por VRE. Os dados do estudo prospectivo foram avaliados de acordo com quatro sucessivas etapas de culturas de vigilância de swab anal realizadas em todos os pacientes internados no IOP em um determinado dia, entre Outubro/08 a Março/09. Foram utilizados meios de cultura de triagem e realizada caracterização fenotípica e molecular dos VRE, assim como PFGE dos VRE-EFM. RESULTADOS: Verificou-se grande incidência de VRE (colonizados e infectados) no IOP (70,8%). Todos os casos foram de E. faecium, sendo 23,5% provenientes de ICS relacionada a CVC. O maior índice de isolados de VRE-EFM foi verificado em julho (n=8), sendo três casos de infecção. No estudo prospectivo, as sucessivas coletas de culturas de vigilância somadas às medidas de controle adotadas no IOP mostraram uma redução significativa no índice de VRE-EFM, caindo de 36% (Outubro/08) para 0% (Março/09). De acordo com o PFGE, houve a prevalência de dois clones A e B, totalizando 27 dos 35 isolados de VRE-EFM analisados, localizados, principalmente, no sétimo andar (12 casos). Acredita-se que este andar foi o principal responsável pela disseminação deste patógeno no IOP. CONCLUSÃO: O modelo prospectivo utilizado neste estudo, somado as estratégias de controle coordenadas pela CCIH do IOP, apresentou impacto positivo no controle da disseminação de VRE, uma vez que verificou-se uma drástica redução no número de casos. Sendo assim, o presente estudo pode servir como modelo epidemiológico para as CCIH de outras instituições no controle da disseminação de VRE no ambiente hospitalar.

BACKGROUND: The pediatric cancer represent between 0.5 - 3% of the tumors. VRE infections in this population, is a potential risk related to high rates of morbidity and mortality especially in the acquisition of VRE-EFM, due to their greater virulence and resistance. Although the relationship between colonization versus infection is relatively low, the likelihood of oncology patients develop infection with the colonizing strain is considerable. OBJECTIVES: Due to high incidence of VRE isolated from patients in IOP between January and August/08 were adopted emergency measures, in order to trace the VRE isolates and contain its spread in the institution. The objective of the present work was to study epidemiologically isolates of VRE in IOP during the January/08 to March/09. MATERIAL AND METHODS: A retrospective study was conducted on the data, followed by phenotypic and genotypic analysis of enterococcal samples during the first eight months of 2008, in order to determine the incidence of colonized patients and/or infected with VRE. Data from the prospective study were evaluated according to four successive surveillance cultures of anal swabs taken from all units of the IOP between Octuber/08 and March/09. We used screening media and performed phenotypic and molecular characterization of VRE, and PFGE of VRE-EFM. RESULTS: A high incidence of VRE (colonized and infected) in IOP (70.8%) was observed. All cases were related to the species E. faecium, with 23.5% from BSI associated to the CVC. The highest rate of isolates of VRE-EFM was observed in July (n=8), and three cases related to infection. In the prospective study, successive samples of surveillance cultures added to the new control measures adopted in IOP showed a significant reduction in the rate of VRE-EFM, decreasing from 36% (Octuber/08) to 0% (March/09). According to PFGE results, there was the prevalence of two clones A and B, totalling 27 of 35 isolates of VRE-EFM analysed, mainly located on the seventh floor (12 cases). We believed that this floor was the main responsible for the dissemination of this pathogen in IOP. CONCLUSION: The prospectively study used in this study, associated with control strategies coordinated by the HICC of IOP showed a positive impact on controlling the spread of VRE, since there was observed a significant reduction in the number of cases. Therefore, this study can serve as an epidemiological model for HICC of other institutions in controlling the spread of VRE in the hospital.
Assunto Enterococos
Resistência bacteriana
Antimicrobianos
Vancomicina
Epidemiologia molecular
Oncologia
Pediatria
Idioma Português
Data 2009
Publicado em SANTIAGO, Kelly Aline de Souza. 2009. 136 F. Epidemiologia Molecular Aplicada ao Controle de Infecções por Enterococos Resistentes à Vancomicina (VRE) em um Hospital de Oncologia Pediátrica. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39420

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-39420.pdf
Tamanho: 1.095Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta