Neuropsicologia transcultural: grupo indígena guarani

Neuropsicologia transcultural: grupo indígena guarani

Título alternativo Cross culture neuropsychology: guarany indian group
Autor Andrade, Vivian Maria Google Scholar
Bueno, Orlando Francisco Amodeo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de Sergipe
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Intellectual processes were investigated in two different populations to study the influence of culture in cognitive performance. Twelve people of an indian population of the Guarany ethnic nation were compared to 12 people (non-indians) paired according to age and education level, both groups residing in the periphery of the city of São Paulo. The following tests were used: Digit Span; Corsi Block-Tapping Test; Block Design and Naming Figure Test. The immediate and delayed verbal memory was assessed through a short story-task with a specific ecological context and the visual memory through animal figures retrieval. No statistical differences were observed between the two groups, but a statistic tendency was observed in the sense of the indigenous group apparently encountering more facility in visual and motors tasks and the non-indians in verbal tasks. The results suggest that the indigenous group used culturally influenced strategies to solve problems and to acquire information, and a more intuitive and concrete utilization of cognition, in conjunction with their own life style as well as poor education.

Para investigar a influência da cultura sobre o desempenho cognitivo foram estudados processos intelectuais em indivíduos de populações etnicamente diferentes. Avaliamos 12 índios e 12 pessoas não indígenas, ambos os grupos constituídos por moradores da periferia de São Paulo, pareados de acordo com idade e nível educacional. Os seguintes testes foram utilizados: Dígitos, Blocos de Corsi, Desenho com Cubos e Nomeação de Figuras. A memória verbal imediata e tardia foi avaliada por meio de estórias relacionadas ao contexto ecológico de ambos os grupos, e a memória visual, pela apresentação e recuperação de figuras. Os resultados quantitativos não demonstraram diferenças significativas entre os grupos, porém, houve uma tendência estatística dos índios mostrarem maior domínio das tarefas visuais e motoras, e os não índios das tarefas verbais. Em conclusão, é possível que o grupo indígena use a cognição de forma mais concreta e intuitiva, em função do estilo peculiar de vida, das habilidades desenvolvidas, associado à baixa escolaridade.
Assunto crossculture neuropsychology
cognition
guarany indian
neuropsicologia transcultural
cognição
índio guarani
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data 2007-12-01
Publicado em Estudos de Psicologia (Natal). Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, v. 12, n. 3, p. 253-258, 2007.
ISSN 1413-294X (Sherpa/Romeo)
Editor Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Extensão 253-258
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2007000300007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1413-294X2007000300007 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4000

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S1413-294X2007000300007.pdf
Tamanho: 417.5Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta