Discriminação de cores em profissionais da área técnica de empresa de material fotográfico

Discriminação de cores em profissionais da área técnica de empresa de material fotográfico

Título alternativo Color vision discrimination in employees of a photographic laboratory
Autor Berezovsky, Adriana Autor UNIFESP Google Scholar
Cavascan, Nívea Nunes Autor UNIFESP Google Scholar
Salomão, Solange Rios Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: The objective of this study was to evaluate chromatic discrimination in employees of a photographic laboratory. METHODS: A total of 47 professional employees of the technical area devoted to calibration and technical assistance for one-hour photo machines (37 men), aged 18 to 41 years (mean of 27.2 ± 5.6 years). The period working in this function ranged from one month to 18 years. Twenty-two normal volunteers (5 men) aged 18-55 years (mean of 25.0 ± 10.6 years) were tested as a control group. Color discrimination was evaluated by the Farnsworth-Munsell 100-Hue test. The inclusion criteria were visual acuity > 0.1 logMAR, normal fundus, absence of hereditary eye disease, absence of visual symptoms or ocular surgery. RESULTS: Twenty-four people (51%) of the professional group presented superior color discrimination when compared to 18% of the control group. Twenty people (42%) presented average discrimination and 3 (7%) presented inferior discrimination. Color vision discrimination was statistically better in professionals when compared to controls (T=968.000, P=0.011). There was no correlation between the period working in the function and color discrimination. CONCLUSIONS: Technical professionals working in a photographic laboratory showed better color discrimination than controls.

OBJETIVO: Avaliar a discriminação de cores em profissionais da área técnica de empresa de material fotográfico. MÉTODOS: Foram incluídos 47 profissionais (37 homens) com idades variando de 18 a 41 anos (média 27,2 ± 5,6 anos), alocados em área técnica especializada em calibração e assistência de máquinas de revelação de fotos em 1 hora. O tempo de trabalho nesta atividade variou de 1 mês a 18 anos. O grupo controle constituiu de 22 voluntários (5 homens) com idades variando de 18 a 55 anos (Média 25,0 ± 10,6 anos). A discriminação de cores foi avaliada com o teste Farnsworth-Munsell 100-Hue. Os critérios de inclusão para os dois grupos foram: acuidade visual com a melhor correção óptica e > 0,1 logMAR, fundo de olho normal, ausência de doenças hereditárias, sintomas visuais ou cirurgia ocular prévia. RESULTADOS: Vinte e quatro (51%) profissionais do laboratório fotográfico apresentaram discriminação superior, comparados a 18% dos voluntários. Vinte (42%) apresentaram discriminação de cores dentro da média e 3 (7%) apresentaram discriminação inferior. O índice de erros foi estatisticamente menor no grupo de profissionais quando comparado ao grupo controle (T=968.000, P=0,011). Não houve correlação entre o tempo de atividade na profissão e os resultados da discriminação de cores. CONCLUSÕES: Os profissionais da área técnica da empresa fotográfica mostraram discriminação de cores superior à do grupo controle.
Assunto Color perception
Color perception tests
Color vision defects
Percepção de cores
Testes de percepção de cores
Defeitos da visão cromática
Idioma Português
Data 2007-12-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 70, n. 6, p. 1001-1005, 2007.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Editor Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 1001-1005
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492007000600022
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492007000600022 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4004

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0004-27492007000600022.pdf
Tamanho: 1.717Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta