Please use this identifier to cite or link to this item: http://200.144.93.176/11600/41516
Title: Alterações do comportamento do tipo-ansioso e das concentrações de serotonina na amígdala de ratos adultos submetidos à privação materna
Other Titles: Changes in anxiety-like behaviors and serotonin levels in the amygdala of adult rats submitted to maternal deprivation
Authors: Suchecki, Deborah [UNIFESP]
Dorsa, Karina Kores [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo [UNIFESP]
Keywords: Estresse neonatal
Comportamento emocional
Alojamento individual
Corticosterona
Serotonina
Amígdala
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal de São Paulo [UNIFESP]
Citation: DORSA, Karina Kores. Alterações do comportamento do tipo-ansioso e das concentrações de serotonina na amígdala de ratos adultos submetidos à privação materna. 2013. 62 f. Dissertação (Mestrado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2013.
Abstract: O estresse precoce representa um importante fator de risco para transtornos psiquiátricos, incluindo ansiedade e depressão. Suas consequências tardias dependem, entre outros fatores, do período de desenvolvimento em que o evento adverso ocorre, em um fenômeno conhecido como timing effect. O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência da privação materna (PM) em dois momentos do desenvolvimento neonatal sobre os comportamentos do tipo-depressivo e do tipo-ansioso, em ratos machos adultos, correlacionando esses dados com o perfil monoaminérgico desses animais. Após o nascimento, um terço das ninhadas foi submetido à PM no 3º dia pós-natal (PM3); outro terço, submetido à PM no 11º dia (PM11) e o último terço não foi submetido a nenhuma manipulação neonatal (CTL). Na idade adulta os ratos machos foram alojados individualmente e avaliados primeiramente quanto ao comportamento tipo-depressivo, realizada pela medida do consumo de sacarose durante o paradigma do estresse crônico moderado (ECM). Para tanto, metade dos animais de cada ninhada foi submetida ao paradigma do ECM enquanto que a outra metade foi utilizada como controle deste paradigma (NECM), totalizandose seis subgrupos: CTL-NECM, PM3-NECM, PM11-NECM, CTL-ECM, PM3- ECM e PM11-ECM. O comportamento-tipo ansioso foi avaliado, ao final deste paradigma, no labirinto em cruz elevado (LCE). O perfil de liberação de corticosterona (CORT) foi avaliado imediatamente antes da exposição ao LCE e 30 e 60 minutos após o teste. Por fim, foi realizada a determinação das concentrações de monoaminas cerebrais por HPLC. Os resultados mostraram que: 1) a PM11 produziu menor ganho de peso ao longo do período avaliado; 2) embora o ECM tenha resultado em comportamento anedônico, a PM não modificou esse efeito; 3) os grupos PM3 e PM11 apresentaram redução de comportamento ansioso quando alojados individualmente na idade adulta, mas não submetidos ao ECM; 4) o ECM induziu aumento da resposta de CORT ao LCE; 5) os animais PM3 e PM11, alojados individualmente e não submetidos ao ECM, apresentaram redução das concentrações de serotonina na amígdala. Esses resultados podem ser interpretados à luz da hipótese match/mismatch, que postula que respostas comportamentais, neuroendócrinas e neuroquímicas adaptativas resultariam de uma consonância entre as experiências neonatais e experiências na idade adulta. Segundo essa hipótese, indivíduos submetidos a estressores na infância poderiam exibir comportamentos mais adaptativos em situações de estresse na idade adulta
URI: http://hdl.handle.net/11600/41516
Appears in Collections:Dissertação de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Karina Kores Dorsa.pdf890.4 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.