Diagnóstico do estado nutricional de escolares: comparação entre critério nacional e internacional

Diagnóstico do estado nutricional de escolares: comparação entre critério nacional e internacional

Título alternativo Diagnosing the nutritional status of schoolchildren: a comparison between Brazilian and international criteria
Autor Silva, Henyse G. Valente da Google Scholar
Chiara, Vera Lucia Google Scholar
Barros, Maria Elisa Autor UNIFESP Google Scholar
Rêgo, Ana Lúcia Google Scholar
Ferreira, Adriana Google Scholar
Pitasi, Bruna A. Google Scholar
Mattos, Thaís Google Scholar
Instituição Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Medicina
Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Medicina Social
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Estadual do Rio de Janeiro Instituto de Nutrição
UERJ Faculdade de Ciências Médicas
UERJ Instituto de Nutrição
Resumo OBJECTIVE: To compare Brazilian and international criteria for assessing the nutritional status of schoolchildren. METHODS: This was a cross-sectional study that enrolled 160 schoolchildren from a public school in the city of Rio de Janeiro, 91 boys and 69 girls, aged 7 to 9 full years. Body mass index (BMI) for sex and age was used to diagnose underweight, healthy weight and overweight, according to Cole et al., Conde & Monteiro, and the World Health Organization (WHO) criteria. Student's t test, the chi-square test, the Kendall concordance test and the chi-square test for tendencies were used to analyze the data; graphs were plotted demonstrating BMI by age, according to the nutritional diagnosis at each set of criteria. RESULTS: Mean BMI did not differ by sex (t = 0.2845, p = 0.7789). According to the first two sets of criteria, none of the children were underweight, whereas, according to the WHO criteria, one of the boys was underweight. The Kendall test did not demonstrate any significant difference between the three sets of criteria (coefficient of concordance for boys was W < 0.0004 and for girls it was W < 0.0008, with p = 1.00). There was a greater proportion of assessments that did not agree among the boys, at 15.13%, while for the girls this figure was 13.04%. A significant tendency was observed for the difference between the criteria to increase with age among the boys (chi-square for tendencies = 6.552, p = 0.0105), which was evident on the graph and was independent of nutritional status. CONCLUSIONS: The criteria used here converged on the same result, without discrepancies between them or advantages for either. Nevertheless, among the boys there was a significant tendency for the diagnoses to differentiate and BMI to increase with age, which is a warning to take care when choosing among criteria.

OBJETIVO: Comparar critério nacional e internacional para avaliação do estado nutricional de escolares. MÉTODOS: Estudo transversal incluindo 160 crianças, 91 meninos e 69 meninas, de 7 a 9 anos completos, alunos de escola pública da cidade do Rio de Janeiro. Utilizou-se o índice de massa corporal (IMC) por gênero e idade para diagnosticar baixo peso, peso adequado e excesso de peso, empregando-se critérios propostos por Cole et al., Conde & Monteiro e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Foram aplicados teste t de Student, qui-quadrado, concordância de Kendall, qui-quadrado de tendência e gráficos demonstrando a evolução do IMC, segundo diagnóstico nutricional obtido com cada critério. RESULTADOS: As médias de IMC não diferiram entre sexos (t = 0,2845 e p = 0,7789). Segundo critérios propostos por autores, não houve baixo peso, enquanto que para os critérios da OMS, ocorreu um caso de baixo peso entre meninos. O teste de Kendall não demonstrou diferença significativa entre os três critérios (coeficiente de concordância: meninos = W < 0,0004, meninas = W < 0,0008 e p = 1,00). As discordâncias na avaliação predominaram entre meninos, atingindo 15,13%, sendo 13,04% para meninas. Observou-se significativa tendência crescente de diferenciação dos critérios com a idade dos meninos (qui-quadrado de tendência = 6,552 e p = 0,0105), evidenciada no gráfico e independente do estado nutricional. CONCLUSÕES: Os critérios utilizados convergem para o mesmo resultado, não havendo discrepâncias ou vantagens entre eles. Entretanto, para meninos, houve significativa tendência de diferenciação nos diagnósticos e evolução do IMC por idade, alertando para cuidado na opção dos diferentes critérios.
Assunto Nutritional assessment
nutritional status
diagnostic techniques
body mass index
children
Avaliação nutricional
estado nutricional
métodos de diagnóstico
índice de massa corporal
crianças
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ)
Data 2008-12-01
Publicado em Jornal de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria, v. 84, n. 6, p. 550-555, 2008.
ISSN 0021-7557 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Editor Sociedade Brasileira de Pediatria
Extensão 550-555
Fonte http://dx.doi.org/10.2223/JPED.1853
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000262710000013
SciELO S0021-75572008000700013 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4726

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0021-75572008000700013.pdf
Tamanho: 118.3Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta