Diabéticos devem ter a artéria torácica interna esqueletizada? Avaliação da perfusão esternal por cintilografia

Diabéticos devem ter a artéria torácica interna esqueletizada? Avaliação da perfusão esternal por cintilografia

Título alternativo Should the diabetics have the internal thoracic artery skeletonized? Assessment of sternal perfusion by scintillography
Autor Santos Filho, Edmilson Cardoso Dos Google Scholar
Moraes Neto, Fernando Ribeiro De Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Ricardo Augusto Machado E Google Scholar
Moraes, Carlos Roberto Ribeiro De Google Scholar
Instituição Instituto do Coração de Pernambuco
Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Departamento de Cirurgia
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pronto Socorro de Cardiologia de Pernambuco
Instituto de Medicina Nuclear e Endocrinologia do Recife
Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco
Universidade Federal de Pernambuco
Resumo OBJECTIVE: To assess, by scintillography, the effect of using bilateral internal thoracic arteries (BITAs) - prepared by two different techniques - on the sternal perfusion. METHODS: 35 patients undergone coronary artery bypass grafting (CABG) were divided into two groups: Group A (18) had both ITA's dissected using skeletonization technique and group B (17) as pedicle preparation. There was no difference in the two groups relating gender, age and demographic characteristics. On the 7th postoperative day the patients underwent bone scintillography. The statistical analysis was performed using the Student's t test with 95% significance. RESULTS: Group A (skeletonized ITA) showed higher perfusion (11.5%) of the sternum as a mean, than Group B (pedicled ITA) patients; however this was not statistically significant (P = 0.127). On the other hand, comparing the diabetic population, seven in each group, there was a marked 47.4% higher perfusion of the sternum in Group A patients (skeletonized ITA) comparing to Group B (pedicled ITA) and this difference reached statistical significance (P = 0.004). CONCLUSION: 1- Sternal perfusion is not affected significantly apart from the dissection technique used for both internal thoracic arteries in the general population when assessed by bone scintillography. 2 - In the diabetic subgroup, a significant preservation of the sternal perfusion was observed in patients undergone skeletonized dissection of the internal thoracic arteries. Although these findings should be confirmed in a greater number of cases, diabetic patients should have the internal thoracic arteries dissected using skeletonization techinque.

OBJETIVO: Avaliar o impacto na vascularização do esterno, por cintilografia óssea, da utilização de ambas as artérias torácicas internas (ATIs), preparadas por duas técnicas diferentes. MÉTODOS: Trinta e cinco pacientes coronarianos foram divididos em dois grupos: Grupo A - 18 pacientes tiveram as duas ATIs dissecadas de forma esqueletizada; Grupo B - 17 pacientes tiveram as duas ATIs dissecadas pela técnica pediculada. Não houve diferença nos dois grupos com relação a gênero, idade e características demográficas. Realizou-se cintilografia óssea 7 dias após a cirurgia. A análise estatística foi realizada utilizando-se o teste de t de Student. com significância estabelecida em 95%. RESULTADOS: No grupo A (ATI esqueletizada), o nível de captação do esterno foi de 11,5% mais alto em comparação com a média dos 17 pacientes do grupo B (ATI pediculada), mas essa diferença não foi estatisticamente significante (P = 0,127). Entretanto, a média dos níveis de captação do esterno nos sete pacientes diabéticos do Grupo A (ATI esqueletizada) foi 47,4% mais alta em comparação à média dos sete pacientes diabéticos do grupo B (ATI pediculada), e esta diferença foi estatisticamente significante (P = 0,004). CONCLUSÃO: 1- A forma de dissecção das ATIs não altera de maneira estatisticamente significativa a perfusão esternal, avaliada por cintilografia óssea, no conjunto geral da população estudada. 2- No subgrupo de pacientes diabéticos, observou-se melhor perfusão do esterno nos pacientes submetidos à dissecção esqueletizada. Embora a confirmação desse achado num maior número de casos seja necessária, pacientes diabéticos devem ter as artérias torácicas internas dissecadas de forma esqueletizada.
Assunto Sternum
Mammary arteries
Tomography, emission-computed
Esterno
Artéria torácica interna
Tomografia computadorizada de emissão
Idioma Português
Data 2009-06-01
Publicado em Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 24, n. 2, p. 157-164, 2009.
ISSN 0102-7638 (Sherpa/Romeo)
Editor Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Extensão 157-164
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76382009000200011
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-76382009000200011 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5103

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0102-76382009000200011.pdf
Tamanho: 79.31Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta