Representações de trabalhadores portuários de Santos-SP sobre a relação trabalho-saúde

Representações de trabalhadores portuários de Santos-SP sobre a relação trabalho-saúde

Título alternativo Representations of dock workers from Santos-SP concerning the relation between work and health
Autor Machin, Rosana Autor UNIFESP Google Scholar
Couto, Márcia Thereza Autor UNIFESP Google Scholar
Rossi, Cintia Cristina Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo This study analyses the representations of individual dock workers at the Port of Santos (state of São Paulo) concerning working conditions, the relation between work and health, and also the adopted health care strategies from the perspective of gender and masculinities. Qualitative research was developed and a total of 13 interviews were conducted with representatives from different categories of dock workers. The Port is described by the workers as a dangerous place, where accidents occur very frequently. They attribute this risk to the organization of labor and to the very heterogeneous conditions in which it is conducted on a daily basis. The transformations that happened in the past decades in the immediate context of work on the docks have implications regarding the patterns of illness and suffering of this specific population; at the same time, they demand the gradual (re)production of values and meanings concerning being a man and a dock worker.

O trabalho analisa as representações de trabalhadores portuários avulsos do Porto de Santos-SP acerca das condições de trabalho, da relação trabalho-saúde e das estratégias adotadas para o cuidado em saúde a partir da perspectiva de gênero e das masculinidades. A pesquisa de natureza qualitativa desenvolveu-se na área de abrangência do Porto de Santos-SP. Foram entrevistados representantes de diferentes categorias de trabalhadores portuários, totalizando 13 entrevistas. O Porto é descrito pelos trabalhadores portuários como local perigoso, com grande ocorrência de acidentes. Eles atribuem esse risco à organização do trabalho e às condições muito heterogêneas sob as quais ele é realizado cotidianamente. As transformações no contexto imediato do trabalho portuário, produzidas nas últimas décadas, trazem implicações acerca dos padrões de adoecimento e sofrimento dessa população específica, ao mesmo tempo em que exigem paulatina (re)produção de valores e significados sobre ser homem e ser trabalhador portuário.
Assunto Work
Health-Illness Process
Masculinity
Health at Work
Trabalho
Processo saúde-doença
Masculinidade
Saúde no trabalho
Idioma Português
Data 2009-12-01
Publicado em Saúde e Sociedade. Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.Associação Paulista de Saúde Pública., v. 18, n. 4, p. 639-651, 2009.
ISSN 0104-1290 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.Associação Paulista de Saúde Pública.
Extensão 639-651
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902009000400008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-12902009000400008 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5389

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0104-12902009000400008.pdf
Tamanho: 134.2Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta